Líderes internacionais reunem no Porto para discutir Recursos Humanos

Países lusófonos estarão amplamente representados no evento que reune maiores líderes mundiais da área de gestão de pessoas e recursos humanos. Iniciativa com dimensão internacional pretende afirmar Portugal no mundo

Pedro Ramos, presidente da Associação Portuguesa de Gestão das Pessoas © CORTESIA PEDRO RAMOS

A cidade do Porto, em Portugal, vai ser palco, no dia 11 de novembro, do 53º Encontro Nacional da Associação Portuguesa de Gestão das Pessoas (APG) by Pessoas | International People Conference, um evento que vai trazer a Portugal os maiores líderes mundiais na área de gestão de pessoas e recursos humanos, muitos oriundos de zonas lusófonas, como o Brasil, para discutir os desafios atuais nas empresas e nas organizações, mas também as questões que envolvem o mercado de trabalho.

Esta iniciativa, que terá lugar no Centro de Congressos da Alfândega do Porto, será organizada pela APG e prevê receber um grande público. Para saber mais sobre o tema, conversamos com Pedro Ramos, presidente da Associação Portuguesa de Gestão das Pessoas, que falou sobre a programação, desvendou alguns dos nomes nacionais e internacionais que estarão presentes e explicou a importância do encontro para afirmar Portugal no mundo.

O que é o evento?
Trata-se do 53º Encontro Nacional da APG (Associação Portuguesa de Gestão das Pessoas) que, este ano, pela dua dimensão internacional, tem uma designação acrescida com o subtítulo “International People Conferece”. Decorrerá no dia 11 de novembro na premiada cidade do Porto, mais concretamente, no Centro de Congressos da Alfândega do Porto. A Associação Portuguesa de Gestão das Pessoas existe a representar os Gestores de Pessoas desde 1964, mas está cada vez mais atual na ligação aos países de língua portuguesa, à Europa e ao Mundo da Liderança e da Gestão de Pessoas nas empresas e organizações.

Quem irá participar?
Vamos ter connosco os maiores gurus da atualidade da Liderança e da Gestão de RH. Desde logo, os americanos Ken Blanchard, o autor de maior referência internacional sobre liderança e Dave Ulrich, o chamado “pai” da Gestão de Recursos Humanos moderna. Também contaremos com nomes sonantes do nosso mundo lusófono: a brasileira Leyla Nascimento, uma “autoridade” mundial na gestão das pessoas. Ainda, contaremos com vários outros palestrantes do Brasil (Marcelo Pirani, Paulo Sardinha, Denize Dutra, entre outros), outros de Espanha, da Alemanha, da Colômbia, da China, dos nossos países irmãos Moçambique, Angola e Cabo Verde. E, claro, vamos ter vários renomados palestrantes portugueses. As duas palestras de abertura e encerramento serão efetuadas por 2 dos mais importantes CEOs nacionais, o Ricardo Costa e o Nelson Ferreira Pires. Nunca um evento em Portugal, num só dia, reuniu tantas estrelas cintilantes no que toca à gestão de RH no Mundo.

Quais os objetivos do certame?
O grande objetivo deste nosso grande evento é descrito no nosso título do congresso: “Taking People & Business to the next level”. Ou seja, chegou o momento de passar de nível, elevar o papel da Gestão das Pessoas no mundo e associar essa nova dimensão à própria Gestão das Empresas. Se, no fim do dia 11 de novembro, conseguirmos saber qual é esse nível e como poderemos chegar lá rapidamente, o objetivo da APG terá sido atingido.

O que se pretende discutir?
Para atingir o grande objetivo, serão discutidos os grandes e principais temas que afetam hoje a Gestão e a Gestão de Pessoas nas nossas empresas e organizações. Os temas relacionados com uma nova liderança necessária nas organizações, aos temas da saúde mental, da felicidade corporativa, do envolvimento das Pessoas e do seu novo papel no desenvolvimento do Negócio, à Experiência do colaborador que exige um posicionamento das pessoas no centro das decisões, até aos novos modelos de aprendizagem nas organizações, aos novos fenómenos de humanização nas empresas com e sem a tecnologia, tema absolutamente critico sobretudo neste pós-pandemia, entre outros. Discutiremos o que hoje faz realmente a diferença para o sucesso das empresas com as Pessoas a Bordo.

Que resultados espera?
Uma partilha de ideias, reflexões, conhecimentos, mas, sobretudo, uma dimensão experiencial tão importante nos nossos dias, que ligue, como nós dizemos na promoção, “de Portugal para o Mundo e do Mundo para Portugal”! Uma partilha gigante, à dimensão do globo, com epicentro aqui em Portugal, na nossa charmosa cidade do Porto.

Como está o mundo do trabalho neste momento?
O mundo do trabalho está profundamente desafiador. A pandemia e agora a pós-pandemia veio “trazer ao cimo” uma serie de novos e renovados desafios. Desde a necessidade de repensar os modelos de trabalho, cada vez mais híbridos, até à necessidade de capacitar as pessoas e a alocar aos projetos de forma diferente, alinhando novas estratégias e novas formas de gerir os seus desempenhos e performances. Existe hoje a necessidade de, para além do trabalho, pensar “o próprio trabalho” para além das fronteiras físicas e temporais das empresas e das pessoas. Uma nova visão holística do trabalho e dos trabalhadores, uma necessidade de atrair o talento de forma continuada e esquecer os velhos modelos de retenção das pessoas e dos talentos, são marcantes nos nossos dias. E, não menos importante, a necessidade “arranjar pessoas” para as várias funções, não existem hoje trabalhadores disponíveis e a necessidade de atração atingiu níveis nunca antes imagináveis. Este é o novo mundo do trabalho! Bem-vindos. Estes desafios são mesmo à escala mundial.

O que motiva ações e eventos como este?
Cada vez mais, estamos menos só no mundo. É essencial juntar todas as vozes, mas, sobretudo, todos os protagonistas que vivem com as mesmas “dores” e sentem os mesmos desafios. Depois, é importantíssimo acrescentar valor e elevar o nível da discussão entre os Gestores de Pessoas por forma a ajudar a desenhar os percursos mais eficazes na obtenção de resultados nas empresas. A APG tem esta missão. Potenciar o melhor que as empresas têm – as suas Pessoas.

Qual a importância deste encontro para o mercado de trabalho e empresarial de Portugal?
É de extraordinária importância como hub de conhecimento e experiência para reunir as melhor experiências e conhecimentos e distribuir essas mesmas experiências transformando-as em melhores práticas de gestão das pessoas. Logo, é essencial para um país como Portugal, que está hoje no centro do mundo das decisões e ligações à Europa, a África e às Américas, liderar esta confluência das melhores práticas da Gestão de RH.

Entidades de que países estarão presentes?
Temos, para além das individualidades que participação a título individual, vários palestrantes que nos trarão cases internacionais extraordinários. Da Alemanha, o Philipp Zimmerman vai trazer-nos o case do processo de transformação global da Siemens, da China, teremos a Renata Thiebaut que apresentará o que a super renomada Alibaba está a fazer no que toca à transformação das competências na era digital, do Brasil, a Camila Almeida da Companhia Aérea Azul vem apresentar-nos o case de como se tornou numa das mais premiadas companhias aéreas do mundo sempre com  foco nas Pessoas e na dimensão “employee experience”, só para dar alguns exemplos. E não podemos esquecer a presença das empresas que em Portugal fazem a diferença nestas matérias como a Adecco, a Randstad, a Multipessoal, a Swaifor, a Cegoc, a Coverflex, a Ticket Restaurant, a The Key Talent, a Keep, entre outras que estarão presentes connosco e que nos apoio nesta “viagem”.

Quantos participantes são esperados?
Esperamos várias centenas de participantes naquele que marcará o primeiro grande Encontro Internacional de Gestão de Pessoas em Portugal nesta pós-pandemia. Para se inscrever baste aceder a este site: https://eventos.eco.pt/enapg/. Neste site do evento, encontrará todas as informações necessárias sobre este nosso 53º Encontro Nacional da APG | International People Conference.

Como a APG avalia a pertinência desta iniciativa?
Este é “o” Encontro de Gestores de Pessoas no Mundo que marcará o início daquilo que será a nova Gestão de Pessoas no Mundo. Logo, a nossa APG | Associação Portuguesa de Gestão de Pessoas está muito animada e com um enorme sentido de responsabilidade sobre esta nossa missão. Expetativa em alta, animação na preparação ao rubro. Vamos lá acolher a Gestão de Pessoas de “Portugal para o Mundo e do Mundo para Portugal”.

Qual o valor das pessoas para o mercado de trabalho?
Para responder a esta questão, vou parafrasear o meu amigo Ricardo Costa que fará o discurso de abertura do nosso congresso: “As Empresas não são feitas de Pessoas, as Empresas SÃO as Pessoas”. Tudo dito…

Por que realizar no Porto?
Um dos objetivos da atual Direção da APG é, precisamente, apostar numa #APGdeTodos. Por isso, é preciso descentralizar, ir para junto dos Gestores de Pessoas e das Empresas e deixar de considerar Lisboa como o único epicentro das decisões e das partilhas. Assim, só poderíamos este ano fazer o nosso Encontro Nacional noutra cidade que não Lisboa. O Porto é, desta forma, o nosso próximo destino. A cidade do Porto é uma das mais premiadas da Europa, tem meios e uma atratividade incrível, e sabe receber “como ninguém”. Assim, diria, “todos os caminhos da Gestão de Pessoas” vão dar ao Porto no dia 11 de novembro.

Qual a diferença desta edição para as anteriores?
A edição anterior do nosso Encontro Nacional foi on-line devido à pandemia. Ainda assim, tratou-se de um evento verdadeiramente nacional. Tivemos participações e mesas redondas das várias regiões de Portugal, de norte a sul, incluindo as ilhas. Este ano, a APG resolveu arrojar bem mais e partir à conquista do Mundo. Estamos na edição nº 53 do Encontro Nacional, um evento promovido anualmente pela Associação Portuguesa de Gestão das Pessoas (APG).

Qual o perfil esperado dos participantes?
O perfil dos participantes é bem eclético. Basicamente, esperamos Líderes de topo das empresas e Gestores de Pessoas de diferentes setores de atividade e de empresas nacionais, multinacionais, grande, médias e pequenas empresas, bem como Gestores com diversos perfis académicos e profissionais. Uma enorme riqueza para a discussão, análise e debate de ideias e partilha de experiências.

Ígor Lopes

Categorias: Margens do Atlântico

Deixe o seu comentário