Grupo de Escoteiros 97 de Água de Pau pretende divulgar o escotismo na comunidade pauense

Ser escoteiro é, para muitas crianças e adultos, um motivo de grande orgulho, mas para quem não pertence a esta associação existe sempre uma dúvida: qual é a diferença entre escoteiro e escuteiro?

Em 1913, foi fundada a primeira Associação de Escotista Portuguesa (AEP) – Escoteiros de Portugal, segundo os princípios delineados pelo fundador do movimento escotista, o inglês Baden-Powell.

Por definição “ser escotista”, é aquela pessoa que viaja sem bagagem de forma leve e veloz.

Em contrapartida, em 1923, a Igreja Católica decidiu criar o “Corpo de Scouts Católicos Portugueses”, mais tarde “Corpo Nacional de Escutas”, os Escuteiros, outra associação escotista, mas com caráter religioso e sobretudo destinada aos jovens que praticam a religião Católica.

O Diário da Lagoa foi ao encontro do Grupo de Escoteiros 97 de Água de Pau, na Lagoa, para compreender a sua história de fundação, o seu funcionamento e as diversas atividades organizadas.

O Grupo de Escoteiros 97 de Água de Pau foi criado no dia 14 de junho de 1983, sendo inicialmente uma secção do Grupo 96 do Rosário e foi apadrinhado pelo Grupo 63 da Ribeirinha, na Ribeira Grande.

Dessa feita, no início da formação do Grupo de Escoteiros de Água de Pau, a escolha das cores do lenço foi uma conjugação das cores de outros grupos de escoteiros, nomeadamente do branco, referente ao primeiro Grupo de Escoteiros a ser criado nos Açores, o Grupo 80 de Ponta Delgada. Já a cor vermelha, foi escolhida em representação do Grupo 96 da Lagoa e o verde refere-se ao Grupo 63 da Ribeira Grande.

Atualmente, o Grupo 97 conta com 38 elementos divididos pelos diversos grupos: os Alcateia com idades entre os 7 e os 10 anos, a Tribo de Escoteiros dos 11 aos 14 anos, a Tribo de Exploradores que conta com jovens dos 15 aos 17, o Clã com adolescentes até aos 21 anos e a Chefia, os dirigentes que participaram com aptidão no Curso Preliminar de Formação Escotista.

Paulo Ponte foi eleito chefe do Grupo 97 em setembro 2016, tendo, no entanto, dirigido os escoteiros de Água de Pau durante vários anos, exercendo diversos cargos. Mais especificamente: foi chefe da Tribo de Escoteiros e chefe dos Serviços Administrativos. Em 2005, foi nomeado para o primeiro mandato como Escoteiro Chefe do Grupo, tendo exercido até 2010. Consequentemente, do ano 2010 até 2016, exerceu funções de Escoteiro Subchefe do Grupo 97.

De salientar que Paulo Ponte entrou no grupo de escoteiros com apenas 12 anos, sentindo muito orgulho por ocupar um cargo de grande responsabilidade e ser dirigente.

“Para mim o Escotismo é uma escola de formação e é muito estimulante ser dirigente num grupo de escoteiros. Confesso que há faixas etárias mais estimulantes do que outras, mas é isto tudo que torna estimulante ser-se dirigente de um grupo de escoteiros. Não poderia deixar de agradecer e louvar todos os restantes dirigentes do Grupo 97, sendo que só com todo o apoio e dedicação é que ser-se dirigente deste Grupo é bem mais fácil e estimulante”, referiu Paulo Ponte ao Jornal Diário da Lagoa.

A realização de diversas iniciativas ao longo do ano permite cativar mais elementos para o Grupo, principalmente recrutamentos efetuados na Escola EBI de Água de Pau e CATL.

“Na minha opinião, creio que o melhor método para cativar jovens é eles verem e sentirem, in loco, o que se faz e como se vive o escotismo dentro do grupo. Ou seja, seria colocando em prática o método de ensino do escotismo que é: “Aprender Fazendo”. Acredito que se os jovens participassem ativamente em algumas das nossas atividades, certamente o resultado poderia ser outro”, afirmou o chefe do Grupo 97.

De salientar que o grupo de Escoteiros de Água de Pau assina anualmente um protocolo com a Câmara Municipal de Lagoa e recebe ajudas pontualmente da Junta de Freguesia de Água de Pau.

Decorreu no passado mês de fevereiro, na Vila de Água de Pau, a atividade regional “A Realidade de B.P.”, onde durante um fim de semana, os jovens puderam usufruir de diversas atividades apropriadas a cada uma das divisões, tendo como base a biografia do fundador dos Escoteiros, Baden Powell.

“O objetivo do Grupo 97 ao se candidatar à receção desta atividade passou por aumentar o interesse nos jovens que já praticam o escotismo, bem como divulgar, ainda mais, o Escotismo na comunidade pauense, despertando, assim, o entusiamo de mais jovens. Foi, sem dúvida, um fim de semana em que se viram e se ouviram escoteiros pelas ruas de Água de Pau com as suas cantigas, gritos de patrulha e risadas”, explicou Paulo Ponte.

As atividades do Grupo 97 são diversificadas, adaptadas a cada uma das divisões e ao progresso do escotista. Assim sendo, os escoteiros praticam o Pioneirismo, que é uma construção à base de nós, mas também aprendem a cozinhar em campo, nomeadamente sabendo fazer diversos tipos de fogueiras, porque existem várias dependendo da utilidade que se pretende delas, como também se ensinam as regras de segurança, a confeção das  refeições e os gestos de primeiros socorros.

Ser escoteiro pode trazer muitos benefícios para o desenvolvimento das crianças, pois fazem parte de um grupo, onde criam um espírito de família e de união, sempre com o intuito de aprender através de diversas brincadeiras.

Entre acampamentos e outras aventuras ao ar livre, os escoteiros cultivam o espírito de equipa, aprendem conceitos importantes de respeito ao próximo, mas também da natureza e do meio ambiente.

DL/AS

 

Categorias: Local

Deixe o seu comentário