Governo determinou a valorização como destino final dos subprodutos da rede de matadouros dos Açores 

Neto-Viveiros-matadouros-açores

O Secretário Regional da Agricultura e Ambiente reafirmou que o Governo dos Açores determinou a valorização dos subprodutos produzidos pela rede regional de matadouros como primeira opção para o seu destino final, encaminhando o mínimo possível para eliminação e potenciado oportunidades de negócios ao setor privado.

“Decidiu encetar um processo de valorização dos subprodutos oriundos dos matadouros, designadamente produtos de origem animal” assim como dos “cadáveres dos animais” que “morrem nas explorações”, declarou Luís Neto Viveiros após uma audição na Comissão dos Assuntos Parlamentares, Ambiente e Trabalho sobre política de resíduos. 

Esse processo, explicou, implica a “recolha em locais identificados e estrategicamente colocados” e, posteriormente, “remetê-los para o exterior, a fim de serem valorizados, correspondendo assim a uma mais-valia para empresas desse ramo interessadas”. 

Considerando que até 2016 estão em curso os processos de selagem dos aterros e lixeiras em seis ilhas do arquipélago, a Secretaria Regional da Agricultura e Ambiente tem desenvolvido um conjunto de diligência que visam a implementação de soluções ambiental e economicamente vantajosas, à medida que vão sendo encerrados os atuais locais de deposição. 

No âmbito do Plano Estratégico de Gestão de Resíduos dos Açores (PEGRA) e do previsto na Carta Regional de Obras Públicas, o Governo dos Açores já adjudicou este ano as empreitadas de execução da selagem das lixeiras nas ilhas das Flores e Graciosa, no valor global de cerca de dois milhões de euros, visando eliminar locais não apropriados para destino final de resíduos, a sua requalificação paisagística e favorecendo a qualidade ambiental e a saúde pública.

DL/GaCS

Categorias: Regional

Deixe o seu comentário