“Zonas balneares dos Açores são um produto turístico pela diversidade que representam”

A Secretária Regional da Energia, Ambiente e Turismo afirmou esta terça-feira, dia 13 de junho, na Graciosa, que as zonas balneares dos Açores constituem um produto turístico de grande relevância pela sua diversidade, representando um espaço de fruição ativa por excelência.

“É indiscutível que os Açores são um lugar privilegiado para a prática do turismo costeiro pela variedade deste tipo de zonas, onde se incluem piscinas naturais, praias e baías que são uma porta de entrada para as atividades de lazer relacionadas com o mar, enquanto imagem de marca de um destino como os Açores”, frisou Marta Guerreiro, em declarações no final de uma visita à Zona Balnear do Barro Vermelho, no âmbito da visita estatutária do Governo à ilha Graciosa.

Por seu lado, o Secretário Regional do Mar, Ciência e Tecnologia, também presente nesta visita, Gui Menezes adiantou que “arrancou em maio um programa de monitorização das águas balneares que, este ano, tem como objetivo a recolha e a análise de mais de meio milhar de amostras das águas balneares em todas as ilhas para garantir a sua qualidade”.

“Este ano foram identificadas 70 águas balneares, mais seis do que no ano passado, existindo 34 zonas balneares com o galardão de Bandeira Azul, sendo que uma delas é precisamente a zona balnear do Barro Vermelho”, frisou o Secretário Regional.

Segundo o executivo regional, os Açores têm mais de 150 zonas balneares classificadas no Plano de Ordenamento da Orla Costeira – POOC, das quais 130 são monitorizadas pela Direção Regional dos Assuntos do Mar.

A titular da pasta do Turismo salientou, por isso, que “as atividades relacionadas com o mar representam uma grande importância para um destino turístico como os Açores, já que estamos a falar de ilhas no meio do Atlântico, com níveis elevados de qualidade das suas águas, sendo indiscutível as potencialidades deste imenso recurso”.

DL/Gacs

Categorias: Regional

Deixe o seu comentário