Viticultores dos Açores devem apostar mais na certificação dos vinhos

O Secretário Regional da Agricultura e Florestas defendeu a importância dos viticultores apostarem, cada vez mais, na produção de vinhos açorianos certificados, algo que considerou imprescindível para garantir a sustentabilidade do setor da vitivinicultura nos Açores.

João Ponte falava na abertura do ‘Wine in Azores’, evento que celebra 10 anos e decorre, até domingo, no pavilhão do Parque de Exposições de São Miguel.

O governante destacou que os números ilustram bem a trajetória de sucesso que a vitivinicultura nos Açores tem feito, dado que o setor soube adaptar-se, crescer em profissionalismo, modernização, marketing e produção, acompanhando as tendências dos consumidores, cada vez mais conhecedores e exigentes.

“Em 2018, a produção de vinho apto a ser certificado irá atingir um valor recorde aproximado de 400 mil litros, o que corresponde a um aumento de 330% face ao ano anterior, representando a maior produção de vinho certificado de sempre”, adiantou João Ponte.

Atualmente, existem cerca de quatro dezenas de vinhos certificados nos Açores.

O Secretário Regional apontou o exemplo da ilha do Pico, onde está em curso uma “mudança estrutural profunda a vários níveis”, desde logo o aumento do número de produtores, dos hectares de vinha certificada (cerca de 1.000 hectares) e da produtividade, além da valorização das uvas e de um vigoroso movimento empresarial.

João Ponte sublinhou ainda o facto de a produção de uvas e vinho nos Açores cumprir rigorosamente todos os critérios de boas práticas agrícolas, que são reconhecidos por diversos especialistas e cada vez mais pelos consumidores.

DL/Gacs

Categorias: Regional

Deixe o seu comentário