Valas no Festival da Povoação by Nissan 2017

Johnny Valas – ou João Valido no Cartão de Cidadão – só descobriu que tinha talento para a música uns anos depois de ter começado a escrever os primeiros versos e a gravá-los no seu quarto.

Com o tempo foi ganhando consciência musical e criando um estilo muito próprio, o mais original possível. Foi sempre, desde muito novo, um ávido consumidor de todo o tipo de música mas era no hip-hop que se encontrava, que se identificava.

Segundo uma nota enviada à nossa redação, Rappers portugueses ou americanos, como Sam The Kid, Boss AC, Halloween, Fuse e VRZ, foram sempre as suas maiores influências.

Em 2009 teve a primeira oportunidade para cantar ao vivo. Decide, então, levar a música para outro nível, encará-la de forma mais profissional.
De todos os projetos em que já esteve envolvido, Nébula foi o que lhe deu mais prazer. O projeto, que desenvolveu em conjunto com o produtor Lhast, permitia-lhe finalmente trabalhar como sempre quis: desenvolver músicas desde o início até à versão final, com um produtor com capacidades únicas e com a vontade comum de fazer algo nunca antes feito em Portugal.

Pelo meio escreveu dois livros de poesia que disponibilizou para download gratuito, algo que lhe dá grande gozo e que pretende continuar a fazer.

Em 2016 assina contrato com a Universal Music Portugal, uma oportunidade que há muito esperava e quase de voltou ao estúdio com Lhast para trabalhar naquele que foi o seu primeiro single com o selo da editora multinacional: ‘As Coisas’.

DL/AJP

Categorias: Cultura

Deixe o seu comentário