Turismo à beira de “situação catastrófica” alertam empresários açorianos

No comunicado divulgado pela Câmara do Comércio e Indústria dos Açores (CCIA) são feitos vários alertas.  “A retoma da economia passa a ser uma prioridade que se segue para que sejam minorados os prejuízos elevados no sistema económico, com reflexos inevitáveis na capacidade de produção e de prestação de serviços e as consequentes implicações para os empregos de mais de uma dezena de milhar de trabalhadores que podem chegar ao ponto de deixar de poder viver nos Açores, por falta de oportunidades, como aconteceu na última crise com o colapso da construção civil”, sublinha a CCIA .

os empresários dizem que o setor do turismo, que inclui hotéis, alojamentos locais, restaurantes, rent-a-car, agências de viagens e uma série de outros pequenos negócios, “está à beira de uma situação catastrófica com implicações muito sérias para o emprego nos Açores”

O setor, direta e indiretamente, segura cerca de 20.000 postos de trabalho, e mais de 12% de toda a riqueza gerada. O setor regista quebras entre os um  60 a 80%.

Os empresários consideram que se torna “imprescindível a programação, com a devida antecedência e em horizonte curto, da reabertura total. Primeiro das viagens inter-ilhas, de barco numa fase e de avião noutra, segundo do mercado nacional (em termos de procedimentos de controlo, porque este, de facto, nunca fechou) e terceiro do mercado internacional”.

A CCIA alerta que nas viagens a programação com antecedência é fundamental. A ausência de aberturas planeadas lança as atividades na incerteza total. Hotéis, ALs, rent-a-car e muitas outras atividades só funcionam com reservas antecipadas, geralmente com vários meses de antecedência.

DL

Categorias: Regional

Deixe o seu comentário