Log in

Cruz Vermelha cria posto médico avançado em Ponta Delgada

Delegada regional da Cruz Vermelha, Manuela Filipe, diz que não é possível “uma solução imediata” mas que todos estão disponíveis “para ajudar São Miguel neste momento de calamidade”

© MIGUEL MACHADO/ GRA

A Cruz Vermelha Portuguesa vai criar um posto médico avançado em São Miguel com o objetivo de atenuar os efeitos causados pelo incêndio do fim de semana passado no Hospital Divino Espírito Santo (HDES).

O anúncio foi feito pelo presidente do Governo regional dos Açores, José Manuel Bolieiro, na quarta-feira, 8 de maio, à margem da visita ao Centro de Saúde da Lagoa durante a abertura da unidade de urgência que vai apoiar doentes com situações de menor emergência.

O posto da Cruz Vermelha será instalado no Pavilhão da Escola da Mãe de Deus, na freguesia de São Pedro, em Ponta Delgada, com o objetivo de libertar lugares no Centro de Saúde da maior cidade do arquipélago dos Açores.

“Assim o Centro de Saúde de Ponta Delgada, fica a partir de segunda-feira, totalmente disponível para a normalidade assistencial”, realçou José Manuel Bolieiro.

A delegada regional da Cruz Vermelha, Manuela Filipe, também presente na ocasião, em declarações aos jornalistas, disse que foi articulado com a congénere de São Miguel a criação de um gabinete para dar apoio local e mostrou a disponibilidade da instituição em contribuir para “ajudar São Miguel”.

“O que tenho visto é uma vontade férrea de resolver a situação”, começou por avançar a delegada regional.

“Não é fácil, pois tenho quase 40 anos de Cruz Vermelha e sei bem que de facto em situação de calamidade não é possível responder a tantas perguntas e dar uma solução imediata. Mas a estrutura da Cruz Vermelha juntou-se de imediato e aqui está, e já de seguida vem o nosso coordenador nacional, pois todos estão disponíveis quer no continente quer aqui para ajudar São Miguel neste momento de calamidade”, assegurou Manuela Filipe.

“Será a estrutura suficiente para podermos dar respostas àquilo que são as necessidades imediatas e que poderá ser complementada sempre que necessário”, conclui o coordenador regional de emergência, Armando Almeida, também presente no momento.

Incêndio deflagra no Hospital Divino Espírito Santo

© DL

O Hospital do Divino Espírito Santo (HDES), em Ponta Delgada, na ilha de São Miguel, deparou-se na manhã deste sábado, 4 de maio, com um alerta de incêndio.

De acordo com um comunicado do HDES, “o foco de incêndio foi detetado no piso 1 e foi acionado o plano de emergência do hospital e estão a ser tomadas todas as medidas previstas no mesmo”.

Uma fonte a que o Diário da Lagoa teve acesso, começou por avançar que o incêndio “terá começado na casa das máquinas e alastrou-se”, sendo que terá tido origem no quadro elétrico do hospital.

Os utentes inicialmente começaram a ser transportados para o exterior do hospital e os Bombeiros Voluntários de Ponta Delgada chegaram ao local onde estiveram a combater o incêndio. Posteriormente os Centros de Saúde em São Miguel começaram a acolher utentes, bem como o hospital CUF Açores, na Lagoa, e a Clínica do Bom Jesus em Ponta Delgada.

© DL

O maior hospital da região, acabou depois por publicar na sua página de Facebook um comunicado a informar que “o Serviço de Urgência, o Bloco Operatório e o Bloco de Partos” estavam encerrados e a apelar “a todos os utentes em situação de urgência” que se dirigissem ao hospital da cidade da Lagoa.

A secretária regional da Saúde, Mónica Seidi, por volta das 12h30, em declarações à RTP Açores afirmou que “o perigo deste incêndio deve-se a dois factos. O primeiro, por estar em causa o fornecimento de energia ao hospital. O segundo, pela questão do fumo que, entretanto, propagou em diversas áreas do hospital”, enquanto salientou que “felizmente não há vítimas, nem há quem corra qualquer perigo de vida”.

“A nossa preocupação é garantir a segurança de todos os doentes que estão no hospital e, também, da população da ilha de São Miguel que — ainda para mais neste fim de semana — o seu número está muito acima do que é habitual”, esclareceu a secretária regional.

Mónica Seidi avançou, ainda, que o Governo regional dos Açores está em contacto com a USISM, com os Centros de Saúde da ilha de São Miguel, com o hospital da CUF Açores e com a Clínica do Bom Jesus. Também já se procedeu à transferência de doentes que estavam internados na unidade de cuidados intensivos, na unidade de neonatais, cuidados intermédios e paliativos. As urgências nos Centros de Saúde estão a funcionar durante 24 horas também.

© DL

Às 16h11 o incêndio foi dado como extinto. Segundo o presidente do Serviço Regional de Proteção Civil e Bombeiros dos Açores, Rui Andrade, estiveram envolvidos na operação 104 bombeiros, 26 ambulâncias e 18 veículos de combate a incêndios. Há a registar nove feridos ligeiros em resultado do combate ao incêndio, todos bombeiros.

Notícia atualizada ao longo deste sábado.