Rui Bettencourt sublinha importância da Macaronésia na cooperação territorial europeia

O Secretário Regional Adjunto da Presidência para as Relações Externas afirmou, na Praia, em Cabo Verde, que “não podem ser diminuídas as verbas para a cooperação territorial” porque esta “tem o mesmo fundamento e o mesmo espírito de cooperação na Europa e de construção na União Europeia”, acrescentando que ainda há muito trabalho a fazer.

Sublinhando que na estruturação do novo programa de Cooperação Territorial Europeu, o INTERREG 21-27, é preciso  convencer a próxima Comissão Europeia de que têm “um espaço de cooperação fundamental”, referindo-se à região da Macaronésia, Rui Bettencourt considera que a próxima década vai ser “importante” na área da cooperação territorial europeia e há muito trabalho a ser desenvolvido em conjunto com as outras regiões da Macaronésia.

“É um momento importante porque temos consciência que esta década 21-27, a década dos anos 20, vai ser muito estruturante para este programa de cooperação territorial europeu e vai ser uma década de viragem, onde as coisas vão aprofundar-se”, considerou o titular da pasta das Relações Externas.

Rui Bettencourt frisou ainda que a próxima década pode ser “uma década excecional” em termos de cooperação, destacando o facto de estar a ser preparado o próximo programa a nível comunitário de cooperação territorial europeia, que pode ser “estruturante” para essa cooperação.

“Este momento aqui é importante, é estratégico também para podermos desenhar este nosso futuro, esta cooperação”, afirmou o governante, salientando a necessidade da tomada de consciência da posição dos Açores em conjunto com os outros arquipélagos da Macaronésia, por terem “uma importância geoestratégica fundamental no mundo” e “uma dimensão marítima gigantesca”, que deve ser tida em conta numa altura em que tanto se fala de economia azul.

Na sua intervenção, o Secretário Regional destacou ainda a importância da tomada de consciência da dimensão da Macaronésia pela sua população, cerca de 3,5 milhões de pessoas, apelando assim à união de todos nesse sentido.

“Também é importante tomarmos consciência da nossa complementariedade”, afirmou.

“Nós somos complementares. Nós trabalhamos em conjunto, cada um de nós tem o seu governo, evidentemente nós cooperamos, mas somos muito complementares no turismo, na economia, na economia do mar, no espaço, que é uma economia que se está a abrir agora e que exige uma cooperação muito importante, na investigação, na questão académica, na inovação, no comércio internacional”, frisou ainda Rui Bettencourt, para quem “este espaço da Macaronésia é fundamental”.

O Secretário Regional considerou ainda que o projeto estratégico ‘Hexagone’, que foi aprovado no âmbito do programa de cooperação territorial MAC 2014-2020, é “um projeto que vai à frente, a abrir caminho e iluminar”, dando exemplo dessa cooperação, salientando que, no decorrer do workshop, vão ser apresentados diversos projetos e vários exemplos de boas práticas daquilo que pode ser feito na área da cooperação.

DL/Gacs

Categorias: Regional

Deixe o seu comentário