Rui Bettencourt salienta importância da qualificação dos jovens açorianos em questões europeias

O Secretário Regional Adjunto da Presidência para as Relações Externas salientou a importância de qualificar os jovens açorianos para as questões europeias numa formação de alto nível, como é o caso do Colégio da Europa.

Rui Bettencourt falava no anúncio da atribuição da Bolsa ‘José Medeiros Ferreira’ para o ano académico 2018/2019 e na sessão de assinatura do contrato da sua concessão a Carolina Silva Torres, licenciada em Estudos Europeus e Política Internacional pela Universidade dos Açores, para a frequência do curso de pós-graduação em Estudos Políticos e de Governança Europeus, no campus de Bruges, na Bélgica.

O titular da pasta das Relações Externas destacou ainda o facto de os cinco bolseiros deste programa que anteriormente frequentaram aquela instituição de ensino privado terem atualmente “situações profissionais muito interessantes”, desejando as maiores felicidades à nova bolseira, que considerou estar “no bom caminho para ter essa qualificação”.

Na ocasião, Rui Bettencourt relembrou “o grande homem” que foi José Medeiros Ferreira e recordou o importante papel que teve este Açoriano “que promoveu muito Portugal na Europa e promoveu os Açores também “, frisando que esta bolsa tem este nome em memória do “grande europeísta” que foi José Medeiros Ferreira.

O Governo dos Açores atribui anualmente a Bolsa de Estudo ‘José Medeiros Ferreira’ para a frequência de um curso de pós-graduação no Colégio da Europa.

Esta bolsa comparticipa os encargos com as propinas do curso, que incluem alojamento e alimentação, e uma viagem de ida e volta entre a residência do aluno e o local do curso.

Podem candidatar-se à Bolsa de Estudo ‘José Medeiros Ferreira’ os indivíduos que, tendo concorrido e sido admitidos à frequência de um curso de pós-graduação no Colégio da Europa, tenham, cumulativamente, até 30 anos de idade (completados à data do início do curso), realizado e concluído o ensino secundário na Região e sejam residentes no arquipélago há, pelo menos, três anos.

DL/Gacs

Categorias: Educação, Regional

Deixe o seu comentário