Ribeira Grande homenageia emigrantes que se destacaram na diáspora

A Câmara da Ribeira Grande vai atribuir a Medalha Municipal de Mérito a cinco emigrantes que se destacaram na diáspora açoriana ao longo das suas vidas, nomeadamente Duarte Miranda, Ildeberto Silva, Manuel Puga, Manuel Clementino e Márcia Sousa, homenageando também os Amigos da Ribeira Grande da Nova Inglaterra e a Casa do Povo da Ribeira Grande.

Segundo uma nota enviada à nossa redação, as distinções serão atribuídas na próxima quinta-feira, 29 de junho, aquando da sessão solene comemorativa do 36.º aniversário da elevação da Ribeira Grande a cidade, prevista para as 17.30 horas, no Teatro Ribeiragrandense.

Duarte Manuel da Ponte Miranda nasceu na freguesia das Calhetas. A sua família emigrou para o Canadá em maio de 1963, quando tinha 14 anos e logo se estabeleceu na cidade de Montreal. Sempre se interessou pelas causas e atividades ao serviço dos outros, colaborando na ajuda da juventude mais carenciada de Montreal. Acompanhou e apoiou jovens estudantes universitários e jovens artistas líricos em início de carreira. A 10 de junho de 2013 foi agraciado pelo com o grau de Comendador da Ordem de Mérito de Portugal.

Ildeberto Manuel Estrela Silva, nasceu a 8 de janeiro de 1953, na vila hoje cidade da Ribeira Grande. Desde pequeno, a par com a escola, acompanhava o seu pai para o campo, sendo este agricultor. Gostava de tudo o que se relacionava com a natureza, mas a sua paixão eram os animais, especialmente os cavalos e as vacas, visto que o seu avô paterno era lavrador.

Após o matrimónio, cumpriu o serviço militar obrigatório e concluído o seu dever com a pátria, decidiu emigrar para o Canadá, mais propriamente para a cidade de Montreal, onde já vivia parte da família materna e a sua irmã, deixando atrás a sua esposa e a filha de apenas seis meses. Em 1982, abriu a sua própria empresa – “Silva Couvreurs”, que tem crescido ao longo dos anos na comunidade portuguesa. Além de contar com a colaboração dos seus quatro filhos, emprega vários portugueses e outras pessoas de outras nacionalidades.

No dia 29 de outubro 2016, a Casa dos Açores do Québec, em Montreal, homenageou-o pelo seu trabalho voluntario e pela sua dedicação à comunidade portuguesa de Montreal.

Manuel Puga nasceu a 31 de agosto de 1957, na freguesia da Matriz, tendo emigrado a 9 de junho de 1969 para Montreal, Canadá. Em 1978, recebeu o convite para assumir o cargo de comprador geral para hotéis Ramada, na província do Québec (8 hotéis). Em 1996, decidiu adquirir o Hotel Lord Berri, Montreal, e posteriormente o Waldlyn, Montreal e, no ano de 2000, o hotel Days Inn Blainville.

É presidente da Cruz Vermelha, secção norte de Laval, membro do Clube Lions há mais de trinta anos e embaixador do torneio de golfe organizado pela Associação de Emigrantes Açorianos. Em 2009 recebeu o Prémio de investimento do Ano pelo Hotel Days Inn, atribuído na Gala Anual da Sociedade Económica e Desenvolvimento da Região.

Manuel Jacinto Botelho Clementino, nasceu a 28 de outubro de 1949, na freguesia da Lomba da Maia. Em 1969, aos 19 anos de idade, deixou a ilha junto com seus pais e irmãos e começou a fazer uma nova vida no Canadá.

Após a sua chegada a Ontário, procurou imediatamente oportunidades de emprego, trabalhou numa variedade de indústrias e estudou à noite para aprender a língua inglesa. Presidente e CEO da Hallmark Housekeeping Services Inc, Manuel Clementino é atualmente o proprietário de diversas companhias com destaque para a Hallmark Housekeeping Services Inc. que emprega mais de quatro mil pessoas em três províncias canadenses (Ontário, Alberta e Columbia Britânica).

Através da sua empresa, estabeleceu um programa anual de bolsas de 25.000 mil dólares que é distribuída a dez dos seus funcionários ou respetivos filhos, que precisam de assistência financeira adicional para alcançar o ensino superior. Em 2003 recebeu a Medalha do Jubileu da rainha e o seu nome foi introduzido também no “Walk of Fame” canadense.

Márcia Vitória Furtado Sousa, nasceu a 27 de julho de 1975, na vila de Rabo de Peixe. Licenciou-se em Gestão de Empresas pela Universidade dos Açores no ano de 2000. De entre os vários cargos ocupados ao longo dos anos, destaca-se o seu trabalho desenvolvido entre 2001 e 2017, como economista, na realização de estudos económicos e estratégicos e de preparação de candidaturas a sistemas de incentivos de empresas regionais e câmaras municipais.

Em fevereiro de 2014 foi nomeada vice-cônsul no Consulado de Portugal, estado de Rhode Island. Sempre se interessou por movimentos cívicos, com destaque para vogal da assembleia da junta de freguesia de Rabo de Peixe, chefe de escoteiros do agrupamento 126 de Rabo de Peixe; membro do grupo folclore de Rabo de Peixe; membro de clubes e associações portuguesas no estado de Rhode Island.

Fundada em 31 de Março de 1967, completando neste ano meio século de vida, a Casa do Povo da Ribeira Grande é uma instituição de solidariedade social que visa desenvolver atividades de caráter social, educacional, cultural, desportivo e recreativo, com o intuito de promover a participação ativa da população nas diversas ações desenvolvidas e, desta forma, contribuir para a satisfação das necessidades da comunidade e para a melhoria da sua qualidade de vida.

Em 1993, José Salvador Couto lançou a ideia de se realizar um convívio ribeiragrandense e, contatando Liberal Batista, proprietário de uma agência de viagens em Cambridge, Massachusetts, decidiram os dois convencer João Luís Pacheco, de East Providence, a formar uma comissão para levar a efeito o que se pretendia. Assim nasceram os Amigos da Ribeira Grande da Nova Inglaterra.

O objetivo seria realizar uma confraternização anual de naturais do concelho da Ribeira Grande espalhados pela Nova Inglaterra. Em menos de dois meses este objetivo foi conseguido e logo se prometeu dar continuidade a este encontro anual.

Esta organização promove e divulga a Ribeira Grande, suas gentes e cultura no continente americano e, ao longo destes anos, tem estreitado a distância entre a América e a região autónoma dos Açores, tentado, ao mesmo tempo, unir todos os ribeiragrandenses dispersos na América do Norte.

DL/CMRG

Categorias: Regional

Deixe o seu comentário