Reuniões dos Presidentes dos Parlamentos das Regiões da Macaronésia e do Grupo de Ligação das X Jornadas Parlamentares Atlânticas decorreram em Cabo Verde

Os Presidentes das Assembleias Legislativas dos Açores e da Madeira e do  Parlamento de Canárias foram recebidos na sede da Assembleia Nacional de Cabo Verde, pelo seu Presidente, Jorge Santos, para reunirem sobre a organização das X Jornadas Parlamentares Atlânticas, que decorrerão em 2020, em Cabo Verde, adianta uma nota de imprensa da Assembleia Legislativa da Região Autónoma dos Açores.

Paralelamente, segundo a mesma nota, também na sede da Assembleia Nacional de Cabo Verde, reuniu o Grupo de Ligação das Jornadas Parlamentares Atlânticas, composto por dois Deputados dos Parlamentos dos Açores, da Madeira, das Canárias e de Cabo Verde, sob a coordenação destes últimos, para definirem as temáticas a debater naquelas Jornadas, para além de programarem toda a organização logística das mesmas.

Na conferência de imprensa que sucedeu à reunião, a Presidente do Parlamento açoriano, Ana Luís, sublinhou a importância das Jornadas Parlamentares Atlânticas enquanto “fórum de excelência dado que permite partilhar informação, conhecimento, preocupações e desafios entre regiões que comungam do mesmo sentimento insular, o que potencia o reforço dos laços institucionais”.

Salientou também que, passados que estão praticamente 30 anos da fundação destas Jornadas, este é o “tempo de revermos o seu funcionamento, avaliarmos a sua relevância ao longo destas quase três décadas e perspetivarmos o seu futuro enquanto elemento agregador de quatro realidades arquipelágicas unidas pelo Oceano Atlântico”.

Ana Luís reforçou, ainda, a importância de que desta reflexão resultem medidas concretas a serem adotadas pelas Jornadas Parlamentares Atlânticas, tal como aconteceu o ano passado,  nos Açores, aquando a realização da sua nona edição, que conduziu à alteração do Regulamento das Jornadas para que a composição das delegações dos quatro Parlamentos respeite a paridade com o mínimo de 40% de participação por género e tal como se prevê acontecer em 2020, com o debate centrado na temática da Economia Azul e na proteção da biodiversidade da Macaronésia, com especial incidência para a problemática do lixo marinho e dos microplásticos, dois dos principais desafios que as nossas regiões marítimas terão de enfrentar num futuro próximo.

DL/ALRAA

Categorias: Regional

Deixe o seu comentário