PSP detém jovem suspeito de roubos violentos em Ponta Delgada

© DL

A PSP deteve, na sexta-feira, um jovem de 19 anos suspeito de vários roubos, alguns dos quais contra idosos e com recurso a violência, em Ponta Delgada, nos Açores, informou hoje o Comando Regional.

Numa nota de imprensa enviada às redações, a PSP adianta que a detenção do suspeito, “sem antecedentes criminais”, surgiu na sequência de diligências concretizadas por uma Brigada de Investigação Criminal, no âmbito de uma investigação de crimes de roubo contra pessoas de idade avançada que residem na cidade de Ponta Delgada, na ilha de São Miguel.

Esta investigação permitiu “correlacionar o detido como suspeito da autoria dos referidos crimes” em Ponta Delgada, segundo as autoridades.

De acordo com a PSP, o suspeito “selecionava as suas vítimas, privilegiando como alvo pessoas idosas e sem capacidade de resistência”.

A PSP diz que “num dos roubos denunciados, a vítima foi um idoso de 83 anos, que terá sido abordado junto à porta da sua própria residência, tendo sido manietado e violentamente agredido e ao qual lhe foi subtraído a quantia de 15 euros”.

A esposa, “também idosa”, terá assistido a toda a ocorrência, “sem qualquer capacidade de reação, apenas pedindo por socorro”, refere a PSP.

A investigação policial decorreu “logo após” o alerta da vítima à PSP e de “duas testemunhas que a socorreram”. As autoridades conseguiram “recolher prova suficiente que indicia o referido suspeito pela prática do crime de roubo e de um outro ocorrido dois dias depois”, em que a vítima, também “idosa”, à qual o suspeito “retirou à força, num cenário muito idêntico ao primeiro, a quantia monetária de 90 euros”.

Além destes roubos, o mesmo suspeito foi “identificado na autoria de outros dois crimes, mas de furto em residências situadas na cidade de Ponta Delgada, ocorridos no início do presente mês de março”, informa o Comando Regional da PSP.

“Por se tratar de um caso urgente e no qual se verificou perigo de continuidade da atividade criminosa”, a autoridade policial procedeu a “mandados de detenção fora de flagrante delito”.

O suspeito já foi presente a primeiro interrogatório judicial e, segundo a PSP, ficou com a medida de coação de prisão domiciliária, sujeita a vigilância eletrónica.

No seu comunicado, a Polícia de Segurança Pública aconselha a comunidade açoriana “a participar/denunciar os crimes de que tenha sido alvo ou testemunha às forças de segurança, no período imediato à prática dos factos, de forma a permitir uma intervenção imediata” para “a presumível identificação dos seus autores e consequente responsabilização criminal”.

Lusa/ DL

Categorias: Regional

Deixe o seu comentário