PSD pede reestruturação do Gabinete de apoio à Comunicação Social enquanto PPM quer extinção

Foto: DR

O Gabinete de apoio à Comunicação Social (GaCS) , responsável pela divulgação da atividade pública do Governo dos Açores, é alvo de críticas por parte de dois partidos da oposição. 

O PSD diz que o GaCS deve ser “um serviço informativo e não um meio de propaganda oficial”. Na sessão plenária da passada sexta-feira, 10 de julho, o deputado social democrata Joaquim Machado defendeu que não faz sentido que o Governo Regional gaste anualmente mais de 700 mil euros com assessores de imprensa, defendo por isso uma reestruturação do referido gabinete. As poupanças com essa reestruturação, no entendimento do PSD/Açores, devem ser canalizadas para a comunicação social privada dos Açores.

O PPM vai ainda mais longe e pede mesmo a extinção do GaCS no prazo de seis meses. No projeto de resolução do Partido Popular Monárquico, o líder Paulo Estêvão diz que o GaCS “é uma entidade demasiado poderosa” que “não evidência o menor vestígio de independência e de isenção”. Para o PPM “no contexto de progressiva fragilização da comunicação social livre que ainda sobrevive nos Açores”, o Gabinete de apoio à Comunicação Social é “um perigo mortal para a democracia nos Açores”.

O valor resultante da extinção do GaCS, deve, no entender do partido de Paulo Estêvão, ser canalizado para o programa Promédia que apoia os órgãos de comunicação social dos Açores. 

DL

Categorias: Regional

Deixe o seu comentário