PS propõe gratuitidade do serviço de amas

© PS/AÇORES

O grupo parlamentar do PS/Açores defendeu esta quarta-feira, na cidade da Horta, que os serviços de amas deveriam ser gratuitos para as famílias nos Açores, como medida de apoio em contexto de inflação.

Intervindo à saída de uma visita do grupo parlamentar do PS ao lar das Criancinhas, no âmbito das jornadas parlamentares que decorreram na cidade da Horta, Tiago Branco salientou a importância de “se avançar nesse sentido.”

“Neste momento de crise e dificuldade, com o aumento dos preços para as famílias açorianas, com o aumento dos juros, dos combustíveis e dos bens de primeira necessidade, o governo regional tem ao seu dispor diversas formas de poder ajudar e mitigar esta crise. Uma delas é o alargamento total da gratuitidade das creches, dos jardins de infância e também dos serviços das amas”, defendeu.

O parlamentar socialista, eleito pela ilha do Faial, realçou que o apoio à infância, “ao contrário daquilo que o governo quer fazer parecer, atravessa algumas dificuldades”, recordando o “importante papel que desempenham as misericórdias e as IPSS’s, através das suas diversas valências, no caso, o apoio à infância.”

Tiago Branco recordou que o PS/Açores já apresentou um pacote de propostas a implementar ainda este ano, tendo por base os 50 milhões de euros de receita extraordinária que o governo regional arrecadou, por via da inflação, do orçamento do Estado.

“O PS/Açores propõe, ainda em 2022, apoiar as famílias com estudantes deslocados, apoiar as famílias com créditos à habitação, atualizar os custos elegíveis nos projetos aprovados do Competir+, reforçar o apoio ao gasóleo agrícola e pescas, reduzir a taxa de imposto sobre combustíveis, criar um fundo regional de capitalização de micro e pequenas empresas. Na área social, defendemos a gratuitidade de creches, jardins de infância e amas, bem como um apoio extraordinário às misericórdias e IPSS’s, entre outras medidas”, lembrou o deputado socialista.

“O governo regional conhece as propostas do PS/Açores para atenuar as dificuldades que as famílias e as empresas atravessam e tem a liberdade de atuar e de aceitar os nossos contributos. Lamentavelmente, o que assistimos é a um total desprezo das propostas do PS, apenas porque vêm do PS. O governo escolhe fazer muito pouco pelos açorianos nesta adversidade e isso é bem evidente”, concluiu o deputado do PS, Tiago Branco.

Categorias: Regional

Deixe o seu comentário