Ponta Delgada aprova orçamento de 61,3 milhões de euros para 2023

© CM PONTA DELGADA

O presidente da câmara de Ponta Delgada, Pedro Nascimento Cabral, afirmou que o orçamento do município para o ano de 2023 apresenta-se, uma vez mais, na defesa das famílias e das empresas do concelho. Os documentos previsionais foram aprovados em reunião camarária e vão agora ser submetidos à assembleia municipal para votação.

A proposta de orçamento global do município acumula uma previsão de 61,3 milhões de euros, dos quais 48,2 se reportam à câmara municipal e 13,1 são referentes aos serviços municipalizados de água e saneamento.

Na proposta de orçamento foi prevista uma receita total de 48,2 milhões de euros para uma despesa de igual montante. A proposta de orçamento dos serviços municipalizados prevê uma receita total de 13,1 milhões de euros para uma despesa de igual montante. Os documentos previsionais integram ainda os mapas de pessoal da câmara municipal e dos serviços municipalizados, para vigorar no ano de 2023.

A proposta de orçamento foi aprovada, por maioria, com os votos contra dos vereadores do Partido Socialista, apesar de terem votado favoravelmente a tabela de taxas e licenças de 2023, o imposto municipal sobre imóveis de 2023, participação variável de IRS de 2023 e derrama de 2023.

O intuito é, como explicou o presidente da câmara de Ponta Delgada, Pedro Nascimento Cabral, “atribuir condições mais favoráveis às famílias e às empresas sediadas no concelho para melhor enfrentar as dificuldades com que nos deparamos na atual conjuntura económica e financeira ainda vincada pelos efeitos da pandemia, pela invasão da Ucrânia pela Rússia, com todas as consequências daí advenientes, com relevo para a subida da taxa de inflação e aumento dos custos de energia.”

A nota de imprensa emitida pela câmara de Ponta Delgada regista que “os vereadores do PS não apresentaram nenhum contributo para inserir nos documentos previsionais, no prazo que lhes foi concedido no exercício do direito de oposição. Mesmo durante a reunião de câmara, os vereadores da oposição não deram qualquer seguimento às propostas apresentadas pelos deputados municipais do PS, na última assembleia municipal, evidenciando, assim, a sua incapacidade de apresentar medidas concretas em benefício das famílias e empresas de Ponta Delgada ou de defender as medidas apresentadas pelos deputados municipais do seu próprio partido.”

Categorias: Regional

Deixe o seu comentário