Plano Regional de Saúde é uma mais valia para os Açorianos

Domingos-Cunha-PS-plano-saude

O Plano Regional de Saúde 2014-2016 foi publicado em jornal oficial resulta de um processo alargado de apresentação e discussão, que recolheu quatro dezenas de contributos e mereceu o parecer favorável do Conselho Regional de Saúde, recorda o PS em comunicado.

O Partido Socialista salienta, em primeiro lugar, o intenso trabalho desenvolvido por todos os que contribuíram para este Plano que constitui uma mais-valia para os utentes e para a melhoria e evolução da Saúde Pública nos Açores.

O Plano Regional de Saúde define um conjunto de estratégias para os próximos anos que, suportado num levantamento aturado das necessidades existentes, estrutura um conjunto de ações e objetivos a realizar com vista a reforçar e a aumentar os ganhos de Saúde das Açorianas e dos Açorianos.

Alicerçado em quatro eixos, nomeadamente, a promoção de estilos de vida saudável, a prevenção de comportamentos de risco, o combate às doenças crónicas e o combate às doenças cardiovasculares e oncológicas, pretende-se, com este Plano, melhorar um conjunto de indicadores da Saúde Pública na Região como, por exemplo e entre outros, a redução da incidência da diabetes, a redução da obesidade, a redução da incidência de acidentes vasculares cerebrais e a promoção de estratégias no âmbito das doenças oncológicas. 

O PS/Açores destaca, ainda, a forte aposta na monitorização e na gestão e tratamento de informação bem como o reforço do envolvimento das Unidades de Saúde Pública da Região no acompanhamento e na implementação das medidas a adoptar.

Para o PS/Açores a prossecução de uma Política de Saúde Pública de qualidade é uma responsabilidade coletiva, na qual deve estar envolvida a sociedade no seu conjunto. Esta é, aliás, uma preocupação presente neste Plano que preconiza, ainda, ações com vista à promoção de uma efetiva cidadania em Saúde e o reforço da equidade no acesso à Saúde.

Para além de uma visão articulada dos indicadores de Saúde da Região no seu todo, o Plano prevê ainda um acompanhamento muito próximo das Unidades de Saúde Pública que, deste modo, permitirá avaliar a evolução da realidade concreta e os resultados específicos em cada uma das nossas ilhas. Neste sentido, destacamos ainda, entre outras medidas, o fomento e a uniformização dos registos informáticos e a criação do Bilhete de Identidade dos Indicadores de Saúde que irão contribuir decisivamente quer para o aumento da qualidade do serviço prestado quer para a melhoria dos diferentes indicadores de Saúde Pública. 

O PS/Açores destaca ainda o início do inquérito regional de Saúde que já conta com mais de quatro centenas de respostas bem como a realização, no final do último ano escolar, de seis mil inquéritos ao abrigo do sistema de vigilância dos comportamentos de risco em jovens, cujos resultados vão servir de base para a criação do Manual de Saúde Escolar que já se encontra em fase final de elaboração, referem os socialistas açorianos.

No âmbito das funções e características das Unidades de Saúde de Ilha serão criados nove observatórios locais, sob a coordenação da Direção Regional da Saúde, que vão permitir conhecer mais detalhadamente as necessidades de cada população, proporcionando informação fundamentada, que permitirá avaliar os resultados e os ganhos como a adaptação ou correção das estratégias e ações que levem a atingir as metas preconizadas para a saúde e bem-estar de todos os cidadãos.

O Partido Socialista entende que o planeamento em saúde, numa Região como os Açores, passa por envolver as dinâmicas locais no sentido de ir ao encontro das necessidades específicas de cada comunidade, das suas famílias e indivíduos, com o objetivo da prevenção da doença e no acompanhamento dos cidadãos saudáveis.

O Partido Socialista reconhece que o êxito da aplicação deste Plano de Saúde passa, obrigatoriamente, pela motivação de todos os profissionais de saúde e das Unidades de Saúde de Ilha e dos Hospitais, e, nomeadamente, das Unidades de Saúde Pública e das equipas em cada localidade, numa coerente articulação com os consultores das diversas áreas de intervenção.

DL/PS

Categorias: Sem categoria

Deixe o seu comentário