Pista de gelo ecológica atrai visitantes à Lagoa

Piso da pista é sintético e não necessita de corrente elétrica para funcionar (Foto: CML)

É raro o dia em que não há fila para entrar. A espera pode ser longa e demorar 1 hora ou mais. Os olhos de quem está pacientemente à espera estão no recinto instalado, durante a quadra festiva, no centro da Praça do Rosário. O som das lâminas no solo denuncia o movimento constante. Só podem patinar 20 pessoas em simultâneo nos cerca de 160 metros quadrados.
A pista é sintética mas o branco brilhante do piso deixa alguns na dúvida. E a curiosidade tem trazido muita gente à Lagoa.
Patrícia Avelar veio dos Mosteiros com o marido, a irmã e as duas filhas, só para ver e para proporcionar a experiência da patinagem no gelo às filhas. “É algo que não é costume cá na ilha, para elas é uma atividade nova, uma novidade”, conta, enquanto espera pela entrada de Bianca, 9 anos, e de Eliana, de 14. A mãe mostra-se curiosa com a reação das filhas ao piso e não hesita em sorrir perante a cautela que vê nas duas. A mais nova admite que “está a ser mais difícil do que pensava porque o chão é escorregadio” e o desafio é mesmo não cair. A irmã, Eliana, acha que “tinha mais piada se fosse gelo verdadeiro” mas também reconhece a dificuldade do desafio.
A família Avelar chegou à Praça do Rosário tal como o Carolina Duarte, 14 anos: através do facebook. A jovem, que veio com os amigos diretamente da Relva, foi interrompida várias vezes entre as inúmeras voltas que o grupo dava à pista. Considera que o piso sintético “é uma boa forma de improvisar e mesmo assim continuar a ter uma boa alternativa às pistas de gelo tradicionais”.
No recinto, o leque de idades é variado. A maioria são crianças e jovens mas os adultos também se aventuram a calçar os patins. Paulo Bento veio da Ribeira Chã com a mulher e o filho. Já não é a primeira vez que patina no gelo mas considera que iniciativas como esta “lembram o Natal, são uma boa forma de diversão e acabam por ser um bom pretexto para as pessoas saírem com a família”, garante. Essa foi, aliás, uma das premissas da Câmara Municipal de Lagoa (CML) quando decidiu trazer animação para o centro da Lagoa.

Patinar sem gelo ou energia eléctrica
A necessidade de dinamizar o centro do concelho partiu dos empresários da Lagoa. “Eles deram nota da necessidade de que a cidade deveria ter gente, ter vida”, explica a Presidente da CML. ”Quando estávamos a pensar no que podia trazer pessoas à cidade, recebemos de uma empresa, que não conhecíamos de parte nenhuma, um catálogo com imensas coisas relacionadas com o Natal e dissemos, bom, se isto não trouxer pessoas à Lagoa ficamos sem saber o que traz”, avança Cristina Calisto. A autarca sublinha que o facto de a pista não ter gelo e não precisar de água ou energia eléctrica é uma mais-valia e suscita curiosidade por parte de quem vem ao espaço.
A abertura do recinto foi feita no mês passado com um espectáculo do Clube de Patinagem de Santa Cruz.
A entrada no espaço é gratuita e sujeita a um limite horário e de utilizadores.

SSO 

(Artigo publicado na edição impressa de janeiro de 2020)

Categorias: Local

Deixe o seu comentário