Para a Hyla a saúde e o ambiente estão em primeiro lugar

Por forma a dar a volta à crise, ou simplesmente fazer um acréscimo aos rendimentos mensais, são muitas as pessoas que se aventuram em vendas independentes.

Mas para vender um produto, e ter sucesso nas vendas, é preciso acreditar naquilo que se pretende vender.

Foi o caso de Marco Lopes que, respondendo a um desafio, aceitou começar a vender a marca Hyla.
Depois de lhe ser feita uma demonstração, logo viu o potencial do produto, quer em termos de limpeza e da própria saúde.

O empresário, na altura ligado à área de contabilidade, acreditou no produto e decidiu avançar.

Hoje em dia está à frente da Hyla Açores, e em maio último foi empossado como importador nacional.

Aquilo que começou por ser um hobby, em pouco mais de um ano, tornou-se praticamente full time.
A Hyla que está no mercado há 30 anos, e nos Açores, o sucesso deve-se aos colaboradores, pessoas que acreditam no produto e transmitem essa credibilidade ao cliente que, por sua vez, comprova e recomenda.

Nos Açores, são cerca de 110 os colaboradores que representam o produto em todas as ilhas, sendo que atualmente são já três os escritórios abertos, um em Ponta Delgada (S.Miguel), uma em Angra do Heroísmo (Terceira) e uma na Horta (Faial).

Marco Lopes, que falava recentemente ao Jornal Diário da Lagoa, à margem da Gala Nacional que decorreu na Lagoa, considerou que o produto que representa tem muito valor, desvalorizando o seu preço, sendo que, os seus benefícios, são muito valiosos.

No mês de maio, o Convento dos Franciscanos, em Santa Cruz, Lagoa, foi palco da Gala Nacional da Hyla, onde participaram cerca de uma centena de colaboradores.

No evento, que contou com a presença do vice-presidente da Hyla Internacional, foi apresentado o novo modelo da Hyla, o EST – Eletronic System Tecnologie, um sistema diferente do habitual, que deverá começar a ser comercializado, em Portugal, este mês de junho.

Por outro lado, Giuseppe Madonia é o vice presidente da Hyla internacional, e ao Jornal Diário da Lagoa, destacou o papel de venda direta ao cliente, para que este, antes que compre, possa saber o que fazer com o que está a comprar.

É assim o método de vendas da Hyla. Falamos de um produto que limpa o ar e toda a casa, um sistema de purificação, diferente dos restantes, até porque utiliza apenas água como filtro, o único no mundo.

Falamos de um produto que tem ganho vários prémios internacionais, principalmente na área da saúde. Giuseppe Madonia destaca que, na empresa, as pessoas trabalham a um nível profissional.

Segundo disse, “a saúde é importante para a Hyla Internacional, ecologia e saúde. A Hyla criou um produto de acordo com as regras europeias para a ecologia, utilizando materiais que se podem reciclar, motores com durabilidade de 40 a 50 anos, aliando assim, e ao mesmo tempo, a saúde e a ecologia”. Pensando no futuro assim se consegue chegar a este resultado, adiantou.

O número dois da Hyla mostra-se satisfeito que, nos Açores, existam pessoas que acreditam no produto e na própria empresa.

Presente em 73 países, sendo que a nível mundial são cerca de seis mil colaboradores independentes em todos os continentes do mundo, a empresa Hyla, com sede na Alemanha, tem tudo em produção própria, uma empresa familiar que aposta num produto único e forte.

A Hyla encontra-se há mais de 20 anos também nos Estados Unidos da América (EUA), sendo que a Alemanha e EUA são os países com maior expressão nas vendas.

Recentemente a Hyla chegou também a Israel, sendo que, para Giuseppe Madonia, onde as pessoas necessitarem de saúde, a Hyla está presente.

DL/ fotos (c) Rogério Sousa

Categorias: Regional

Deixe o seu comentário