Orçamento Participativo dos Açores incentiva cidadania ativa em todas as ilhas

O Vice-Presidente do Governo destacou o papel do Orçamento Participativo dos Açores (OP Açores) no reforço da participação “cívica e ativa” dos Açorianos, contribuindo, assim, para estimular a coesão económica e social da Região, beneficiando ainda as comunidades locais.

O governante falava na apresentação do projeto e na assinatura do Acordo de Parceria para implementação da ‘Quinta Mágica’, proposta vencedora da edição de 2018 do Orçamento Participativo dos Açores na ilha Graciosa, na área temática da Inclusão Social, cerimónia que foi presidida pelo Presidente do Governo, Vasco Cordeiro.

Na sua intervenção, Sérgio Ávila realçou que as iniciativas apresentadas pelos cidadãos visam, sobretudo, “reforçar a qualidade da Democracia, envolvendo os Açorianos nos processos de decisão”, considerando que a “participação ativa e informada” estimula a cidadania e a “coesão económica e social”, sendo potenciadora do “surgimento de projetos que contribuem para o desenvolvimento da Região”.

O Vice-Presidente defendeu que o OP Açores deve ser “um verdadeiro instrumento de exercício de cidadania”, recordando que a segunda edição, que está a decorrer, beneficiou de um reforço, para um milhão de euros, na sua dotação, além do alargamento a mais uma área temática, a Cultura, bem como da possibilidade de serem apresentados e votados projetos de âmbito regional.  

O resultado, frisou o Vice-Presidente do Governo, foram “124 propostas finais submetidas a votação”, acrescentando que, com base no voto de quase 5.000 Açorianos, “saíram 29 projetos vencedores, atualmente em execução pelo Governo dos Açores, em parceria com as mais diversas entidades”, como é o caso do projeto da ‘Quinta Mágica’.

DL/Gacs

Categorias: Regional

Deixe o seu comentário