Município da Ribeira Grande entre os melhores ao nível do equilíbrio orçamental

Câmara da Ribeira Grande esclarece dúvidas quanto às reduções do IMI

O município da Ribeira Grande está entre os melhores do país ao nível do maior equilíbrio orçamental, ocupando o nono lugar nacional e o primeiro a nível regional, à frente da Calheta e de São Roque do Pico. Os dados divulgados no Anuário Financeiro dos Municípios Portugueses vêm reforçar a forma como o executivo camarário tem vindo a gerir os destinos da autarquia.

Segundo a autarquia, para além de ser o município dos Açores com maior equilíbrio orçamental, a Ribeira Grande também lidera na região no que concerne custos com pessoal, sendo no arquipélago o concelho que apresenta menor peso com pessoal no total da despesa, subindo onze lugares em relação a 2014.

A Ribeira Grande também ocupa uma posição de destaque (terceiro lugar) no que concerne ao índice de independência financeira (receitas próprias/receitas totais), verificando-se um salto qualitativo neste índice a partir de 2013, passando de 25,4% para 27,5% em 2015, ficando à frente de municípios como Angra do Heroísmo, Praia da Vitória e Vila Franca do Campo.

A nível regional a Ribeira Grande também se destaca no âmbito do maior volume de receita cobrada, verificando-se uma melhoria significativa de 2014 para 2015 com um aumento de 9,4%. No que concerne à despesa, o município também está bem cotado, subindo ao segundo lugar do ranking regional, apenas atrás de Ponta Delgada.

Realce ainda para a receita cobrada de IMT, verificando-se um aumento em 51,2% em 2015 em comparação com 2014, o que vem reforçar a ideia da dinâmica que o concelho está a ter ao nível do setor imobiliário.

A Ribeira Grande melhorou o prazo médio de pagamentos – baixou de 10 dias em 2014 para 6 dias em 2015 – refletindo a contínua preocupação do executivo em pagar aos fornecedores o mais depressa possível, contribuindo dessa forma para uma maior dinâmica no comércio e empresas.

A autarquia presidida por Alexandre Gaudêncio também evidenciou-se no que concerne à diferença entre o grau de execução de receitas liquidadas e o grau de execução de despesas comprometidas, situando-se em terreno positivo. Ou seja, a Ribeira Grande tem uma taxa de execução da receita líquida superior à taxa de execução da despesa líquida, o que demonstra que as despesas estão sustentavelmente asseguradas pelas receitas do município.

DL/CMRG

Categorias: Regional

Deixe o seu comentário