Jovens Repórteres Europeus entrevistam subsecretário regional da Presidência

Alunos ficaram a saber quais as rotinas de Pedro Faria e Castro que diariamente reúne com cerca de 30 pessoas para concretizar os objetivos do Governo regional

Pedro Faria e Castro recebeu alunos da EBI de Água de Pau © D.R.

Os Jovens Repórteres Europeus, membros do Clube Europeu da EBI de Água de Pau, deslocaram-se, no dia 3 de novembro, a Ponta Delgada, para entrevistar o subsecretário da Presidência, no sentido de aprofundarem alguns conhecimentos sobre a União Europeia e de ficarem a conhecer como é o dia a dia de um membro do Governo regional.

Pedro Faria e Castro, em resposta à curiosidade dos jovens, começou por explicar como era o seu dia a dia enquanto secretário regional e referiu que, logo pela manhã, dá expediente às muitas mensagens de correio eletrónico e reúne com os membros do seu gabinete: cerca de 30 pessoas, desde o chefe de gabinete, secretária pessoal, adjuntos até aos vários técnicos, que, em conjunto, procuram concretizar os objetivos de Governo regional. Para além do trabalho no seu gabinete, o entrevistado adiantou que no âmbito das suas funções faz algumas viagens, sobretudo para a ilha do Faial, local onde está a Assembleia Legislativa Regional dos Açores, e nas funções específicas que têm a ver com a Europa referiu que vai por vezes ao estrangeiro.

Na área dos assuntos europeus, o Secretário regional esclareceu que compete ao Governo regional coordenar a participação dos Açores na União Europeia, levando as preocupações dos açorianos às instituições europeias: ao Parlamento Europeu, à Comissão Europeia, ao Conselho Europeu e à representação das regiões ultraperiféricas, isto porque os Açores estão realmente bastante afastados dos centros de decisão da União Europeia e precisam de se fazer ouvir nessas instituições.

À pergunta: “o que é que a União Europeia está a fazer para nós enquanto jovens?”, colocada por um dos jovens repórteres do Clube Europeu, referiu, logo em primeiro lugar, a questão das alterações climáticas e exemplificou com a COP26 – Conferência das Nações Unidas sobre Alterações Climáticas, sendo uma grande preocupação e investimento da União Europeia em salvar o Planeta. “A UE é a entidade que mais força dá para a sobrevivência da humanidade, da sobrevivência dos vossos filhos, dos nossos netos e dos nossos bisnetos”, garante. Por outro lado, identificou uma série de iniciativas dirigidas aos jovens ao nível da formação, dos programas de intercâmbio dos jovens, bem como a integração do ensino, a unificação do mercado de trabalho e a promoção da paz e dos outros valores da União Europeia.

Para terminar a entrevista, uma das repórteres colocou a seguinte pergunta, já no âmbito das preocupações relativas à realidade local: “Um dos problemas que encontramos na nossa freguesia/terra é que há muitas pessoas que recebem subsídios e não precisavam porque não querem trabalhar, enquanto que há pessoas que precisam e não têm. O que o senhor acha disso?” Ao que o entrevistado respondeu prontamente: “Acho mal. Aqueles que não querem trabalhar, não deviam receber apoios. Só devem receber apoios para viver aqueles que não podem trabalhar. Só devem receber apoios as pessoas que estão no desemprego ou aqueles que não têm condições físicas e mentais para trabalhar, que estão doentes… essas pessoas precisam ser ajudadas, mas sabemos que há aqueles que furam as regras … e que querem enganar o sistema, isso está mal… não pode ser!”

Leia a entrevista completa e toda a atividade do Clube Europeu, clicando, aqui.

José Carlos Pereira
EBI de Água de Pau/ DL

Artigo publicado na edição impressa de dezembro de 2021

Categorias: Educação

Deixe o seu comentário