Jovens lagoenses lançam, na internet, projeto “Poesia é para comer”

Júlio Tavares Oliveira e Jacinta Carreiro, são um casal açoriano, ambos naturais da cidade de Lagoa, São Miguel, que decidiram, juntos, criar um projecto inovador na Internet, inspirados num verso de Natália Correia: A poesia é para comer.

A poesia é para comer, oficialmente fundado a 12 de outubro de 2018, é, assim, “o sítio perfeito para nos encontrarmos, finalmente: aqui, comunica-se na língua de Camões, o português, apenas, sem estrangeirismos, e na linguagem que Camões conheceu: aqui fala-se de poesia, também, mas de pessoas – do que fazem, do que são, do que têm para dizer.”

O site pretende focar-se na divulgação de poesia produzida somente por autores açorianos ou autoras açorianas – para isso, existe já uma equipa pronta a colaborar com A poesia é para comer, e nessa equipa constam os poetas Carolina Cordeiro, Júlio Tavares Oliveira, Miguel Teixeira de Andrade, Nuno Costa Santos, Pedro Paulo Câmara e Urbano Bettencourt.

Há também a aposta na divulgação de sessões de apresentação e de lançamento de obras de autores açorianos ou de autoras açorianas; na divulgação de entrevistas realizadas, por nós, a autores açorianos ou a autoras açorianas, bem como na publicação de recensões críticas, escritas por açorianos ou açorianas, para o projecto, que visem sobre obras exclusivamente de autores ou autoras naturais dos Açores.

Haverá também espaço à publicação de artigos de opinião escritos por açorianos, açorianas ou, excepcionalmente, por cidadãos ou cidadãs, com diferente naturalidade, mas que tenham uma vivência prolongada nos Açores e uma opinião formada sobre a região em causa. Temas dos artigos? Cultura! Para isso, o site conta já com uma equipa sólida de cronistas: Avelina Ferreira, Graça Moniz E Almeida, Júlio Tavares Oliveira, Maria João Ruivo, Mariana Borges, Nuno Pacheco Sousa,
Pedro Cordeiro Ponte, Pedro Neves, Sónia Nicolau e Zuraida Soares.

Na coordenação do site estará uma comissão editorial composta pelo fundador Júlio Tavares Oliveira, natural de Nossa Senhora do Rosário, Lagoa, e Jacinta Carreiro, pauense, igualmente fundadora.

O lançamento d`A poesia é para comer está previsto para o dia 12 de novembro com a publicação das primeiras crónicas e poesias.

JTO

Categorias: Cultura, Local

Deixe o seu comentário