Jantar Algarvio encantou todos os participantes, juntando gastronomia e tradição musical

O primeiro Jantar Algarvio, realizado no Porto dos Carneiros, na Lagoa, juntou as duas cidades irmãs, Lagoa do Algarve com a Lagoa de São Miguel, naquele que foi um verdadeiro momento de união e partilha, juntando a gastronomia às tradições musicais.

Xerém, cataplana de peixe, bolo de amêndoa e gila, acompanhando o vinho de Lagoa (Algarve), foi a deliciosa gastronomia servida esta quarta-feira, dia 22 de junho no Jantar Algarvio organizado pela autarquia lagoense dos Açores e confecionado por cozinheiras do Algarve, numa preparação que durou cinco horas a cozinhar.

Numa mistura de produtos açorianos com sabores e tradições algarvias, foram servidas refeições para mais de 800 pessoas e para além da gastronomia, o convívio passou também pela tradição musical com a atuação do Grupo de Cantares Fonte Nova, Grupo Folclore do Calvário, ambos da Lagoa do Algarve e o Grupo Folclórico Grujola, Grupo de Cantares Tradicionais de Santa Cruz, representaram a Lagoa de São Miguel.

Para a presidente da Câmara Municipal de Lagoa, Cristina Calisto, este jantar que se realizou pela primeira vez na Lagoa, foi uma ideia inédita que decorreu de forma maravilhosa, proporcionando uma noite completamente diferente.

“Utilizando os produtos da nossa terra, a verdade é que demos um colorido e um sabor completamente diferente. E a verdade é que, com estas geminações todas, isto permite também que possamos pensar, todos os anos, em fazermos algo diferente”, salientou a autarca lagoense, referindo a possibilidade de novos eventos futuros, com outras geminações.

De salientar que este Jantar Algarvio decorreu no âmbito do Fórum para a Cooperação Cultural, Educativa e Económica, que decorre do dia 19 a 25 de junho e onde a Lagoa recebeu os representantes autárquicos das 10 vilas e cidades geminadas.

“Neste momento há aqui uma certa confusão do que é que vai acontecer porque estamos todos a convidar-nos uns aos outros e uns querem ir para Cabo Verde, outros querem vir cá, portanto naturalmente que isto está a decorrer no auge deste acontecimento, agora vamos nos sentar e vamos pensar e delinear a estratégia do próximo ano”, explicou Cristina Calisto, confessando que este momento de confraternização será para repetir.

Por seu turno, para Anabela Simão, vereadora da Câmara Municipal de Lagoa, no Algarve, este jantar foi um verdadeiro sucesso, afirmando que toda a gente quis aproveitar e provar um bocadinho dos sabores algarvios.

Anabela Simão agradeceu a receção tanto por parte dos lagoenses dos Açores, como das restantes geminações, argumentando que o convívio entre todos tem sido extraordinário.

“É muito positivo e esperemos que para o ano, se tudo correr bem, nós vamos receber novamente a Lagoa (Açores), com as Festas do Divino Espírito Santo”, desafiou a vereadora.

Em forma de balanço deste convívio semanal entre todas as geminações, Anabela Simão adiantou que tem sido uma semana muito equilibrada e agradável, permitindo aprofundar as relações entre cada país.

“As pessoas puderam apresentar-se umas às outras, conhecerem-se e apresentarem mais projetos e pensarem em novos projetos”, acrescentou a vereadora algarvia, demonstrando que este Fórum também permitiu o desenvolvimento de novas parcerias e ideias de projetos.

Do mesmo modo, o presidente da Câmara Municipal de Santa Cruz, da ilha de Santiago, em Cabo Verde, Carlos Silva, de forma muito satisfeita adiantou que as boas práticas devem ser repetidas e copiadas, desejando realizar o mesmo evento na sua ilha, desafiando a autarquia lagoense de São Miguel a deslocar-se até Cabo Verde.

Com o sucesso do Fórum, do primeiro Jantar Algarvio e com tantos desafios lançados por parte das diferentes autarquias, a dificuldade para a Câmara Municipal de Lagoa, será de escolher o próximo convívio, com as suas geminações, a ser realizado em 2018.

DL/AS

Categorias: Local

Deixe o seu comentário