Investimentos privados que preveem criar 70 postos de trabalho são exemplo da confiança dos investidores na Região

O Presidente do Governo garantiu que a parceria entre as entidades públicas e privadas tem permitido gerar confiança no investimento nos Açores, apontando o exemplo dos projetos da empresa MG City, que preveem a criação de cerca de 70 postos de trabalho diretos e qualificados, num investimento superior a 12 milhões de euros.

O Presidente do Governo falava na cerimónia de assinatura do Memorando de Cooperação entre a SDEA – Sociedade de Desenvolvimento Empresarial dos Açores e a MG City, no âmbito da captação de investimento externo, com vista à concretização nos Açores de quatro projetos de investimento nas áreas da mobilidade elétrica sustentável, do ‘design & concept’, da produção e manutenção e da fabricação aditiva.

Segundo disse, as vantagens comparativas que os Açores apresentam nesta matéria – como são exemplos os casos de um diferencial fiscal vantajoso em relação ao resto do país e um sistema de incentivos ao investimento privado que é um dos mais abrangentes e generosos a nível europeu – constituem um fator de geração de confiança, que deve ser fomentada e incentivada, assumindo-se como condição essencial para atração e realização de investimento com a consequente criação de emprego e de riqueza.

“Posso adiantar que, neste momento, são já perto de 1.000 as candidaturas de investimento privado no âmbito do Sistema de Incentivos para a Competitividade Empresarial, o Competir+, que representam quase 420 milhões de euros e que preveem a criação de mais de 2.100 novos postos de trabalho na Região”, anunciou Vasco Cordeiro.

De acordo com o Presidente do Governo, estes dados são uma das faces do atual quadro comunitário, que tem nos Açores a taxa de execução mais elevada do país e do conjunto dos programas regionais que integram o designado Portugal 2020 (PT 2020).

Do montante aprovado na Região, foram já realizados e pagos 51% da despesa aprovada, um nível de execução que coloca os Açores numa posição de destaque quanto a esta matéria.

Na sua intervenção, Vasco Cordeiro considerou, por outro lado, que o Memorando de Cooperação hoje assinado constitui mais um exemplo, entre tantos outros, da capacidade de atração que a Região apresenta o investimento externo.

Nesse sentido, destacou a dimensão dos projetos em si mesmos, já que se trata de um investimento global que ascende mais de 12 milhões de euros e que prevê criar cerca de sete dezenas de postos de trabalho diretos e altamente qualificados.

O Presidente do Governo sublinhou ainda a tipologia de investimento em causa, diretamente ligado à tecnologia de ponta em várias áreas, à transformação digital e à indústria 4.0, em linha com novas tendências dos mercados mundiais e muito direcionado para a exportação, com os reflexos que isso naturalmente terá na balança comercial regional.

No âmbito da captação do investimento externo, os quatro projetos em causa incluem uma unidade de produção de uma viatura elétrica para uso profissional e turístico, bem como os respetivos postos de carregamento elétricos e sistema de software de gestão, uma outra unidade industrial para produção de equipamento para espaço público e semipúblico, uma unidade de engenharia, projeto e design de equipamento e, por último, a instalação de uma unidade de metalurgia aditiva, que produzirá peças para utilização na indústria aeronáutica, náutica, máquinas agrícolas e próteses médicas.

DL/Gacs

Categorias: Regional

Deixe o seu comentário