Inaugurada a Praça do Emigrante na Ribeira Grande

Foto: Direitos Reservados

A inauguração da Praça do Emigrante decorreu este domingo, 26 de julho, e é um “enorme orgulho e uma homenagem a quem partiu à procura de melhores condições de vida”, destacou Alexandre Gaudêncio, presidente da Câmara da Ribeira Grande que presidiu à cerimónia oficial de inauguração de um espaço que realça ser “um marco na nossa história contemporânea e que simboliza a lembrança dos filhos desta terra”, realçou.

A Praça do Emigrante “é uma peça de arte pública que perpetua a alusão à emigração e um marco público que servirá de ponto de (re)encontro a quem nos visita”, acrescentou, relembrando que “neste particular, a Ribeira Grande sempre teve uma ligação muito especial à comunidade emigrada.”

“Foi em abril de 2015, aquando da inauguração do monumento “Shore to Shore”, no Stanley Park, na cidade de Vancouver, no Canadá, que surgiu a primeira ideia deste monumento que estamos hoje a inaugurar”, recordou.

“Há cinco anos nascia o sonho de se erguer um monumento na Ribeira Grande que apelasse ao sentimento da saudade. Desde então, foram-se cultivando laços de maior proximidade e de amizade com os responsáveis do projeto e, principalmente, com a comunidade emigrante da América do Norte”, acrescentou o autarca.

Alexandre Gaudêncio destacou a persistência de Luís Silva na concretização da obra. “Ele nunca desistiu do sonho e, após várias ideias sobre o projeto, chegamos ao dia de hoje e ao espaço que agora inauguramos”, agradecendo, na ocasião, ao “Luís Silva pela visão que teve na concretização da praça.”

E estendeu os agradecimentos: “Uma palavra especial ao Carlos Menezes, o homem que deu forma à pedra; à Liliana Lopes pela sua pronta colaboração na Calçada dos Mundos; ao gabinete M-Arquitetos, na pessoa do Fernando Monteiro, que cedeu o projeto, sem esquecer a família da sua mãe, porque esta localização só foi possível através de um protocolo de cedências de zonas verdes; à empresa Albano Vieira e ao mestre Carlos Fernando pelo trabalho desenvolvido e à Associação dos Emigrantes Açorianos, na pessoa do seu presidente, Rui Faria, que desde a primeira hora se empenhou para que este dia fosse possível”.

A Praça do Emigrante “é uma obra que se enquadra no plano de revitalização da cidade e com condições para se tornar num dos principais pontos de atração do concelho, atendendo à localização e aos novos investimentos privados que estão previstos para esta zona nobre da cidade”, disse o presidente ribeiragrandense.

Empenhada em “dar uma nova vida à cidade e ao concelho, apostando em obras que vão ao encontro dos novos tempos”, a Câmara da Ribeira Grande vai avançar, até ao final do corrente ano, com a “requalificação da rotunda na zona poente da avenida José Nunes da Ponte, onde será colocada outra peça de arte pública, esta dedicada ao surf”, revelou Alexandre Gaudêncio.

Localizada na avenida José Nunes da Ponte, a Praça do Emigrante tem aproximadamente 4000m² e pretende homenagear todos os emigrantes que partiram em busca de melhores condições de vida. Apresenta três componentes: globo, pedra e mar.

O piso da praça simboliza o mar, executado em calçada branca e basalto negro. O globo, com quatro metros de diâmetro, revestido por calçada e basalto negro representa a Terra e a pedra onde assentará o globo representa a(s) ilha(s).

DL/CMRG

Categorias: Regional

Deixe o seu comentário