Igreja católica assinala a semana das migrações

semana_das_migracoes_ago_14_600-400

O diretor da Obra Católica Portuguesa das Migrações afirmou que falar de “Migrações: rumo a um Mundo melhor”, tema da semana de migrações a decorrer de 10 a 17 de agosto, aponta à esperança. 

“Ao citar o tema desta semana automaticamente falamos de esperança, a mesma que move muitas famílias que estão a passar dificuldades neste momento e as obriga a desenraizar-se, a procurar novas terras para construir a sua vida”, afirmou o Frei Francisco Sales em declarações à Agência ECCLESIA. 

“Falar num mundo melhor é falar de esperança, procurar mudar o mundo através da solidariedade e da compaixão cristã”, sublinhou.

A peregrinação internacional a Fátima de Agosto, nos dias 12 e 13, insere-se nesta Semana Nacional das Migrações, cumprindo-se “uma tradição de há mais de 40 anos”. 

O bispo do Porto, D. António Francisco dos Santos, vai presidir a este “encontro no Santuário de Fátima que tem como tema central “Perdoai-me, porque pequei”.

A Peregrinação dos Migrantes e Refugiados ao Santuário de Fátima, inserida na Peregrinação Internacional de Agosto, é organizada pela Obra Católica Portuguesa de Migrações e, entre os dias 10 e 17 de agosto, assinala a 42.ª Semana Nacional de Migrações.

Como acontece nas peregrinações aniversárias em Fátima, a noite é de vigília e oração, em agosto a cargo dos emigrantes que assumem toda a dinâmica.

“É uma noite muito dinâmica porque os jovens trazem as suas violas e partilham as suas experiências de fé nos vários países onde estão emigrados”, explicou.

No último dia da semana dedicada às migrações, 17 de agosto, acontece a Jornada de Solidariedade para com a Pastoral da Mobilidade Humana, uma proposta de oração pelos migrantes e de recolha de donativos para a Obra Católica Portuguesa das Migrações.

Na Diocese de Angra, a ouvidoria de Ponta Delgada vai assinalar a semana com uma eucaristia no dia 13, na Igreja de Nossa Senhora de Fátima.

Ponta Delgada regista a maior concentração de imigrantes nos Açores. A maioria dos 3600 trabalhadores que se deslocaram do estrangeiro para o arquipélago, para trabalhar sobretudo na construção civil, concentra-se em Ponta Delgada, conforme noticiou o Portal da Diocese a partir de dados fornecidos pela Associação dos Imigrantes deos Açores (AIPA) no passado mês de julho quando a autarquia de Ponta Delgada promoveu o dia do imigrante, a 15 de julho. 

No concelho de Ponta Delgada, o principal problema que estes novos residentes enfrentam é o desemprego e a precariedade económica, devido à crise na construção civil.

DL/Portal Diocese

Categorias: Sem categoria

Deixe o seu comentário