Governo dos Açores impulsiona mobilidade elétrica através da concessão de postos de carregamento

A Secretária Regional da Energia, Ambiente e Turismo salientou que a implementação de uma rede de postos de carregamento rápido de mobilidade elétrica é “mais um passo” para ir ao encontro dos “compromissos europeus que a Região assumiu no sentido de aumentar a representatividade das fontes de energia renováveis e endógenas no sistema electroprodutor”.

Marta Guerreiro falava, em Ponta Delgada, na cerimonia de assinatura dos contratos de concessão de Serviços de Exploração de Pontos de Carregamento Rápido de Mobilidade Elétrica, onde foram adjudicados 16 dos 26 lotes de exploração, que permitirão que, “em breve, se possa proceder ao lançamento da segunda fase do concurso, que visa a aquisição, montagem e manutenção dos pontos de carregamento concessionados nesta primeira fase”.

A titular da pasta da Energia salientou que, “para os 10 lotes que ficaram excluídos ou desertos no concurso, quer por não assegurarem as especificidades dos requisitos mínimos exigidos, quer por ausência de candidaturas, o Governo dos Açores irá contratualizar a sua exploração junto das câmaras municipais”.

Em fevereiro, o Governo dos Açores lançou o concurso público para a concessão de 26 pontos de carregamento, abrangendo todos os concelhos do arquipélago, salvaguardando a cobertura integral e equilibrada de todas as ilhas, para além de satisfazer as necessidades dos aglomerados populacionais mais afastados dos centros urbanos e tendo em consideração os movimentos pendulares e fluxos turísticos.

Para a Secretária Regional, é importante que todos sejam “conhecedores dos impactos positivos que os veículos elétricos vão trazer à operação do sistema elétrico dos Açores, bem como a potencial sinergia com a produção de eletricidade a partir de fontes de energia renováveis e endógenas”, fazendo com que a mobilidade elétrica seja atualmente “o meio mais eficaz para a promoção da sustentabilidade no setor dos transportes terrestres, sem recurso a combustíveis fósseis”.

Marta Guerreiro salientou que, “tendo em consideração que os percursos efetuados diariamente na Região são relativamente pequenos face à crescente autonomia das baterias dos veículos elétricos e à evolução tecnológica no setor, os Açores irão destacar-se no contexto dos espaços insulares europeus no que diz respeito a soluções para a mobilidade elétrica”.

Marta Guerreiro adiantou ainda que o Executivo açoriano “está a conceber um quadro de incentivos financeiros, sob a forma de subsídio não reembolsável, bem como incentivos de natureza fiscal, fomentando, deste modo, a adoção da mobilidade elétrica”.

DL/Gacs

Categorias: Regional

Deixe o seu comentário