Governo dos Açores defende “extrema valia” da interligação entre a escola e a agricultura

O Secretário Regional da Agricultura e Florestas afirmou que é de “extrema valia” a interligação entre a comunidade escolar e a prática na área agrícola, salientando que a agricultura necessita de mais jovens “qualificados, motivados e empreendedores”.

João Ponte, que falava na assinatura de um protocolo de colaboração com vista à formação de alunos na área da agricultura biológica, destacou que o setor agrícola tem atraído cada vez mais jovens com formação superior, que vêm na agricultura um projeto de vida, até porque “ser agricultor é uma profissão reconhecida na sociedade, com desafios permanentes, mas simultaneamente muito enriquecedora”.

O protocolo assinado na ilha do Faial visa proporcionar aos alunos de cursos de formação vocacional novas aprendizagens, no caso concreto ao nível da agricultura biológica.

João Ponte salientou ainda que este tipo de protocolo está inserido nas ações previstas no Plano para o Desenvolvimento da Agricultura Biológica nos Açores e no respetivo plano de ação para a próxima década, com o objetivo de reforçar o conhecimento, as competências e o crescimento da agricultura, particularmente da agricultura biológica nos Açores.

Por seu lado, o Secretário Regional da Educação e Cultura, também presente na cerimónia, apontou a via profissionalizante no ensino como “boa solução” para aqueles alunos que “menos se adaptam ao currículo regular, tradicional”.

O titular da pasta da Educação frisou que, neste tempo de “grandes desafios”, o empenhamento do Governo, através das secretarias regionais da Educação e Cultura e da Agricultura e Florestas, do poder local, da escola e das associações confirma que a educação “é simplesmente a melhor forma de combater as desigualdades e de promover o desenvolvimento”.

DL/Gacs

Categorias: Regional

Deixe o seu comentário