Governo dos Açores avança com formação para auxiliares e técnicos na área da deficiência em 2019

A Secretária Regional da Solidariedade Social revelou que o Governo dos Açores vai iniciar em 2019 a implementação de um plano formativo dirigido a auxiliares e técnicos que desenvolvem a sua atividade nos centros de atividades ocupacionais (CAO).

Andreia Cardoso, que falava na apresentação do resultado da avaliação dos CAO, realizada no âmbito do programa AQI – Avaliar, Qualificar e Inserir, salientou que o momento formativo agora anunciado constitui uma resposta do Executivo às necessidades identificadas com a realização deste estudo de caraterização.

A Secretária Regional frisou que a componente ‘qualificar’ daquele programa “já se encontra em marcha, mais concretamente a realização de um programa formativo, previsto para o início de 2019, para pessoal técnico e auxiliar, com base nas necessidades identificadas neste estudo e, portanto, nas áreas mencionadas”.

Além desta iniciativa, Andreia Cardoso adiantou outras que surgem como resposta às questões sinalizadas pelas instituições, nomeadamente “a apresentação de uma proposta de alteração legislativa no que concerne à empregabilidade de pessoas com deficiência, uma vez que foi identificada a necessidade de melhorar estes mecanismos jurídicos no sentido de passarem a espelhar, de forma mais adequada, as necessidades específicas destas pessoas”.

Ainda em 2018, acrescentou, o Governo dos Açores irá iniciar a implementação de projetos-piloto no âmbito das atividades socialmente úteis e da empregabilidade de pessoas com deficiência.

Numa primeira fase, estes projetos serão desenvolvidos em parceria com a Cáritas da ilha Terceira e com a Casa de Saúde de São Rafael, estando planeado o seu alargamento a outras instituições e ilhas, nomeadamente ao Faial, com a colaboração da APADIF.

Andreia Cardoso manifestou satisfação com os resultados hoje conhecidos, que considerou que revelam a qualidade dos serviços prestados.

Para a governante “é importante que percebamos que, através de programas como o AQI, temos uma oportunidade privilegiada de sensibilizar a comunidade e capacitar todos para ver além da incapacidade”.

DL/Gacs

Categorias: Regional

Deixe o seu comentário