Log in

Pedro do Canto Brum expõe bonecos de cerâmica na Lagoa

© D.R.
pubpub

A câmara da Lagoa, através do Museu da Lagoa – Açores, vai inaugurar no dia 13 de outubro, pelas 18h30, a exposição intitulada “Bonecos e cerâmicas de cá e de lá”, da autoria de Pedro do Canto Brum. A inauguração contará com um momento musical a cargo de Carlos Araújo e Michael Smith.

A exposição fotográfica reúne registos a artesãos e indústrias de Portugal continental e da ilha de São Miguel, com destaque para o concelho da Lagoa, tendo como fio condutor o trabalho a partir do barro. Ao acolher uma exposição deste cariz, a câmara da Lagoa não só valoriza duas componentes nevrálgicas para a identidade lagoense – a cerâmica e a arte bonecreira, como divulga outras coleções e trabalhos nacionais.

A arte bonecreira da Lagoa está representada com fotografias do artesão João Arruda, bonecreiro residente do Museu da Lagoa – Açores, assim como da fábrica de cerâmica Vieira, indústria cuja origem no concelho remonta à segunda metade do séc. XIX e que se tornou representativa do concelho. Eduardo Medeiros, artesão micaelense que se dedica às figuras em miniatura, também se encontra representado nesta mostra.

Como referido, Pedro do Canto Brum enveredou, igualmente, por caminhos de Portugal continental, captando com a sua objetiva o artesanato figurado de Barcelos, a memória da olaria da vila de Redondo e o figurado de barro de Estremoz. Fotografou, ainda, algumas peças produzidas pela fábrica de faianças artísticas Bordallo Pinheiro.

Esta exposição surge no seguimento do projeto “Novos bonecreiros”, na valorização da arte bonecreira e da cerâmica lagoense, e da aposta da câmara da Lagoa na promoção de exposições temporárias como forma de desenvolver um trabalho de promoção e difusão cultural, a que se alia um trabalho de serviço educativo que se pretende desenvolver em torno destas.

Os leitores são a força do nosso jornal

Subscreva, participe e apoie o Diário da Lagoa. Ao valorizar o nosso trabalho está a ajudar-nos a marcar a diferença, através do jornalismo de proximidade. Assim levamos até si as notícias que contam.