Log in

Escola Secundária de Lagoa recebe escritor João de Melo

© CM LAGOA
pubpub

O auditório da Escola Secundária Lagoa recebeu ontem a visita do escritor açoriano João de Melo, que dinamizou o encontro “Confissões de um escritor de abril” com os alunos do 10.º e 11.º anos daquela escola. O evento insere-se no programa comemorativo dos 50 anos do 25 de abril, segundo nota de imprensa da Câmara municipal da Lagoa.

Na ocasião, João de Melo, nascido na Achadinha, Nordeste, falou da infância em São Miguel, e a sua experiência quando, com apenas 10 anos de idade, viajou de barco para Lisboa, para estudar no Seminário dos Dominicanos. O escritor açoriano relatou, ainda, algumas das suas experiências na Guerra Colonial em Angola e no pré e pós 25 de abril em Lisboa, onde viu alguns dos seus contos censurados.

João de Melo, que se fez acompanhar por alguns dos seus livros, teve ainda a oportunidade de ler algumas passagens da sua mais recente obra de poesia “Longos Versos Longos”, que marca o regresso do escritor ao género lírico após 44 anos.

No final da palestra, os alunos puderam colocar as suas questões, numa conversa dinâmica entre o autor e todos os presentes, lê-se ainda, na mesma nota.

O escritor açoriano João de Melo, residente em Portugal continental, publicou o primeiro conto aos 18 anos. O primeiro romance que escreveu, em 1977, teve por base a experiência na guerra colonial em Angola, tema que deixou feridas abertas na sua geração e que o escritor acaba por revisitar em outras obras.

Ao longo da sua carreira, escreveu várias obras de ficção, ensaios, antologias, poesia, livros de crónicas e de viagem. Os seus livros foram traduzidos em Espanha, Itália, França, Holanda, Roménia, Bulgária, Estados Unidos da América, Hungria, Alemanha, Grã-Bretanha e Irlanda do Norte, Sérvia, México e Colômbia.

Foi distinguido com o Grande Prémio da Associação Portuguesa de Escritores; Prémio Eça de Queiroz/Cidade de Lisboa; Prémio Cristóvão Colombo (Capitais Ibero-americanas); Prémio Fernando Namora; Prémio Antena 1; Prémio «A Balada» e Prémio Dinis da Luz. Em 2016, foi distinguido pela Universidade de Évora com o Prémio Vergílio Ferreira, pelo conjunto da sua obra. Em 2021, venceu o Prémio Literário Urbano Tavares Rodrigues.

“Gente Feliz com Lágrimas”, o seu romance mais conhecido (cinco prémios literários, traduções em dez países, 27.ª edição portuguesa em fevereiro de 2017), foi adaptado ao teatro pelo grupo «O Bando», a telefilme e a série de televisão pelo realizador açoriano José Medeiros.

Foi agraciado com o grau de Cavaleiro de Ordem de Santiago da Espada (10 de junho de 1989) e com o grau de Comendador da Ordem do Infante D. Henrique (9 de junho de 2015), agraciado com a Medalha de Mérito Cívico pela Assembleia Regional dos Açores. Em 2019, O Ministério da Cultura atribuiu-lhe a Medalha de Mérito Cultural.

Os leitores são a força do nosso jornal

Subscreva, participe e apoie o Diário da Lagoa. Ao valorizar o nosso trabalho está a ajudar-nos a marcar a diferença, através do jornalismo de proximidade. Assim levamos até si as notícias que contam.