Feira quinhentista reune “cerca de 30 mil pessoas”

© CMRG

Sob a temática “500 anos do Nascimento de Gaspar Fructuoso”, terminou domingo à noite, 17 de julho, a 11ª edição da feira quinhentista, após cinco dias consecutivos de festa, na cidade da Ribeira Grande, na ilha de São Miguel.

De acordo com nota de imprensa enviada pela autarquia ribeiragrandense, a feira reuniu “cerca de 30 mil pessoas, a participação mais elevada de sempre”.

Com a intenção em honorificar a figura de Gaspar Frutuoso, a autarquia atribuiu a temática da feira aos 500 anos do seu nascimento e, em comunicado, refere que “funcionou em pleno, sobretudo junto dos mais novos, através da realização de muitos jogos e material didático distribuído”.

Na cerimónia de encerramento, o presidente da câmara da Ribeira Grande, Alexandre Gaudêncio, agradeceu o empenho de todos os 17 grupos responsáveis pela animação da feira, tendo entregado um certificado de participação a cada um.

“Esta feira é já uma tradição nossa. A edição deste ano foi uma das melhores de sempre, avaliando pela qualidade e pela participação de milhares de pessoas”, disse Gaudêncio.

Ao Diário da Lagoa o vereador da Cultura da autarquia ribeiragrandense, António José Garcia, disse que na verdade “tudo começou há muitos meses, mas não tantos quanto desejável, uma vez que ainda em janeiro passado, a situação futura era incerta, no que diz respeito aos efeitos da pandemia, em particular, às restrições impostas aos ajuntamentos e circulação de pessoas”.

E conta que “muitos dos grupos que dão apoio à recriação histórica e animação do certame estavam também a recompor-se depois de dois anos de inatividade, o que ainda tornava tudo mais incerto. Não obstante, a equipa da divisão de Cultura não hesitou em por mãos à obra e, passo a passo, foi estabelecendo os contatos necessários, interna e externamente, dando início ao conjunto de procedimentos que tornam agora possível a 11ª edição da Feira Quinhentista”, salienta o vereador.

Questionado se esta é uma edição importante, António José Garcia destaca que “não temos dúvida de que esta é uma edição especial, desde logo, pelo retorno da feira após dois anos de interrupção e ainda pelo facto de lhe termos atribuído como temática os «500 anos do nascimento de Gaspar Frutuoso», o que traduzirá a vivência de uma realidade distante no tempo mas próxima no espaço. Finalmente, referir que estamos a falar de um evento que envolve uma grande logística e, como disse, praticamente todas as áreas do município, o que só é possível com a dedicação e vontade de todos os envolvidos, a quem endereço um especial agradecimento”.

Na ocasião, foram ainda atribuídos os prémios às melhores barracas da feira, nomeadamente a melhor na categoria “Taberneiro” e a melhor na categoria “Artesanato”.

Quanto à barraca de comes e bebes, a vencedora foi a “Canela e Pimenta”, de Pedro Pinheiro. Nesta categoria também foram entregues duas menções honrosas, uma à “Tasca Ferreirinha” e outra à “Os Verdinhos Frutuosos”.

No que diz respeito à barraca de artesanato, a vencedora foi “Fundação Gaspar Frutuoso”. Foram ainda atribuídas duas menções honrosas, uma à “Bogangas” e outra à “Alquimias de Lua”.

A edição de 2023 da Feira Quinhentista já se encontra agendada para os dias 12 a 16 de julho.

DL

PUB.

Categorias: Cultura

Deixe o seu comentário