Faleceu D. António de Sousa Braga

© DIOCESE DE ANGRA

A igreja dos Açores está de luto. Faleceu, nesta segunda-feira, vítima de paragem cardiorrespiratória, D. António de Sousa Braga, 38.º bispo de Angra, nomeado pelo papa João Paulo II a 9 de abril de 1996.

O corpo de D. António de Sousa Braga está em Lisboa, onde vivia, no seminário de Alfragide, uma das casas da congregação dos sacerdotes do Coração de Jesus a que pertencia e onde residia desde que resignou, em março de 2016.

A 9 de abril de 1996, o papa João Paulo II chamou-o ao episcopado, nomeando-o 38.º bispo de Angra, nos Açores, onde foi ordenado bispo no dia 30 de junho de 1996, na Sé de Angra, por D. Aurélio Granada Escudeiro, a quem sucedia.

Religioso da congregação dos sacerdotes do Coração de Jesus desde 1962, D. António de Sousa Braga foi ordenado padre pelo papa Paulo VI, em Roma, em 1970, década em que iniciou um percurso nas casas de formação dos dehonianos, onde foi superior provincial aos 35 anos.

D. António de Sousa Braga nasceu a 15 de março de 1941, na freguesia de Santo Espírito, ilha de Santa Maria, nos Açores, sendo o quinto de dez irmãos. Terminou a escola primária, frequentou o 1.º e 2.º ciclos liceais de então no colégio missionário Sagrado Coração, no Funchal, e o 3.º no Instituto Missionário Sagrado Coração, em Coimbra.

De 1962 a 1964, frequentou o curso de filosofia, em Monza (Itália) e, após um estágio de vida religiosa em Portugal, frequentou, de 1966 a 1970, o curso de teologia na Pontifícia Universidade Gregoriana.

A 17 de maio de 1970, dia de Pentecostes, no contexto das celebrações dos seus 50 anos de ordenação sacerdotal, o papa São Paulo VI ordenou 278 presbíteros originários de todos os continentes. Entre eles, o diácono dehoniano da já então província portuguesa dos sacerdotes do Coração de Jesus, António de Sousa Braga.

D. António de Sousa Braga foi bispo de Angra até 15 de março de 2016, quando, completados os 75 anos de idade, o papa Francisco aceitou o seu pedido de resignação, sucedendo-lhe no cargo D. João Lavrador, em setembro de 2015. Após a sua resignação, D. António de Sousa Braga quis voltar aos sacerdotes do Coração de Jesus, ao seminário de Nossa Senhora de Fátima, em Alfragide, onde foi formador e superior da comunidade. As cerimónias fúnebres aguardam confirmação de dia e hora.

Categorias: Regional

Deixe o seu comentário