Escola Secundária de Lagoa recebe utentes da Cooperativa de Educação e Reabilitação de Cidadãos Inadaptados de Beja

A Cooperativa de Educação e Reabilitação de Cidadãos Inadaptados – Cercibeja, oriundos de Beja – Alentejo, deslocou-se durante três dias à ilha de São Miguel, mais precisamente à cidade de Lagoa, de forma a apresentar a sua peça de teatro, intitulada “Alice”.

A Escola Secundária de Lagoa (ESL) recebeu esta quarta-feira, dia 7 de junho, a peça de teatro “Alice”, representada por 12 utentes e 4 técnicos da Cercibeja, num intercâmbio com duas turmas da ESL, UNECA TVA ( Transição para a Vida Ativa) e UNECA Ocupacional e uma turma da Escola Pe. João José do Amaral, turma UNECA Ocupacional do Fisher.

Frequentam a Cercibeja, 190 jovens adultos com necessidades especiais, tendo 64 funcionários, e onde pessoas a partir dos 16 anos de idade podem ocupar o seu tempo com diversas atividades, nomeadamente: agricultura, desporto e teatro.

O núcleo de teatro, que existe há três anos, fez a sua primeira estreia fora do Alentejo deslocando-se à ESL, sendo que, até então, todas as apresentações tinham sido efetuadas pelas ruas do Alentejo.

Segundo o presidente da Cercibeja, José Hilário, as respostas sociais onde os jovens estavam integrados encontravam-se muito envelhecidas, onde praticamente todas as atividades se centralizavam nos trabalhos manuais. Sentindo que havia outro potencial mas que seria fundamental fazer uma mudança com profissionais, integraram na equipa da Cercibeja, um animador sócio-cultural e uma técnica licenciada em teatro, criando o núcleo de teatro.

Esta instituição deslocou-se a São Miguel de 6 a 8 de junho, porque a Cercibeja acredita que todos os projetos elaborados devem ir para o exterior, de forma a partilhar com as famílias e a comunidade, mas principalmente para integrar as pessoas com deficiência na sociedade.

“Viemos aos Açores demonstrar que somos capazes, que eles, apesar das diferenças, conseguem como qualquer um de nós”, referiu ao Jornal Diário da Lagoa José Hilário.

Esta viagem foi muito importante para este grupo, pois para além da estreia fora da sua zona de conforto, permitiu que muitos passassem pela experiência de andar de avião pela primeira vez, mas também conhecer outras culturas e outro povo.

Anualmente, muitas atividades são elaboradas pela instituição e a 3 de dezembro, Dia Internacional das Pessoas com Deficiência, é organizada uma caminhada noturna com cerca de 2000 pessoas a andarem por uma única causa: a integração e aceitação da pessoas com deficiência. Em 2018, a instituição irá celebrar o seu 40º aniversário, onde será organizado um jantar com 400 pessoas do exterior.

Para o presidente do Conselho Executivo da ESL, Alexandre Oliveira, a escola tem dado todo o seu apoio aos núcleos de educação especial, demonstrando, assim, todo o carinho para com os jovens com necessidades especiais.

De salientar que após a estreia da peça de teatro “Alice”, os jovens da Cercibeja e os alunos das três turmas lagoenses, com a ajuda da Junta de Freguesia de Nossa Senhora do Rosário, fornecendo o transporte para os mesmos, foram conhecer a ilha de São Miguel, confraternizando num intercâmbio entre o Alentejo e a Lagoa.

A Cooperativa de Educação e Reabilitação de Cidadãos Inadaptados de Beja lançou o desafio à Escola Secundária de Lagoa de continuar este intercâmbio e dos alunos lagoenses se deslocarem, futuramente, ao Alentejo.

DL/AS

Categorias: Educação, Local

Deixe o seu comentário