Log in

Presidências: José Silva – 1933/1937-1939

Nasceu em Ponta Delgada, a 9 de Outubro de 1900, mas muito cedo veio parar à então Vila da Lagoa, como Chefe dos Correios e Telégrafos. E, aí, descobriu Maria Rufina Botelho, filha única, rica e com vários pretendentes. (cf. Bettencourt, Maria Palmira). Casou-se com ela a 31 de Dezembro de 1922, na Igreja de Nossa Senhora do Rosário, enraizando-se nesta terra, onde veio a falecer, a 25 de Julho de 1974 (cf. Bettencourt, Maria Palmira, 2013).

Era filho de José Jacinto Medeiros Silva, natural da Lomba do Cavaleiro – Povoação, importante e conceituado comerciante em Ponta Delgada, tendo uma loja à frente da Igreja Matriz. Era também filho de Carlota Constantina, natural da Matriz – Ribeira Grande. Já Maria Rufina Botelho nasceu a 23 de Setembro de 1893, no Rosário, falecendo a 5 de Julho de 1962.

José Silva teve um papel relevante na Vila da Lagoa a nível social, económico e político (cf. Bettencourt, Maria Palmira, 2013). Em finais dos anos 20, 30 e 50 foi Vice-presidente, presidente da Câmara Municipal de Lagoa e Administrador do Concelho.

Em Junho de 1933, concretizou, por exemplo, o jardim situado na Avenida Infante D. Henrique, recinto destinado aos jogos de ténis e voleibol. Foi também com José Silva, o autarca, que se deu a abertura pública dos “banhos”, hoje Piscina Municipal. Instalou o telefone na Lagoa e fez questão de, na qualidade de Presidente da Câmara, fazer o primeiro telefonema da Câmara Municipal para o Sr. Governador Civil (cf. Bettencourt, Maria Palmira, 2013). 

Foi com ele inaugurada a vistosa escola da Ribeira Chã. Encarregou, igualmente, à época, os dois presidentes das filarmónicas da Vila da Lagoa, Sociedades Estrela D’ Alva e Lira do Rosário, que tocassem, uma em cada domingo, no jardim público da freguesia, pagando a Câmara por cada audição 40 escudos. (cf. Bettencourt, Maria Palmira, 2013).

Fala-se também de uma manifestação, nos anos 30, que juntou 100 pessoas, que percorreram a pé o caminho isolado do Rosário até à sua casa na Malaca, onde José Silva passava o Verão, consistindo a mesma num pedido de auxílio para obterem um trabalho – José Silva recebeu, então, todos os manifestantes de braços abertos.

Foi, igualmente, Administrador do Concelho e Presidente da Mocidade Portuguesa, na Lagoa, ao longo de 32 anos.

>Fontes/Referências utilizadas

Os leitores são a força do nosso jornal

Subscreva, participe e apoie o Diário da Lagoa. Ao valorizar o nosso trabalho está a ajudar-nos a marcar a diferença, através do jornalismo de proximidade. Assim levamos até si as notícias que contam.

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *

CAPTCHA ImageCambiar Imagen