Log in

Portugueses integram grupos de ajuda à população do Rio Grande do Sul

Há uma importante movimentação de portugueses e lusodescendentes a tentar salvar vidas na região do sul do Brasil que vive cenário “catastrófico e desastroso”. Casa de Portugal de Porto Alegre abriu as suas portas para que a população tenha abrigo e acesso à água potável

© D.R.

A tragédia que está a assolar o Estado do Rio Grande do Sul, no Brasil, depois das cheias provocadas pelas fortes chuvas nas últimas semanas, soma já mais de uma centena de mortes, num contexto em que se verificam cidades inteiras destruídas e num momento em que mesmo a logística local foi alterada, sobretudo, na região serrana e na capital, Porto Alegre.

Em poucas horas, entre o final de abril e o início de maio, choveu o equivalente a três meses no Rio Grande do Sul. Os rios chegaram a níveis históricos. Segundo dados do governo do Rio Grande do Sul, em constante atualização, o número de mortes provocadas pelas enchentes chega a 157. Já o número de municípios atingidos pela tragédia chegou a 464. O número de pessoas afetadas pelos temporais também subiu: são mais de dois milhões de moradores do Estado atingidos. Mais de 76 mil pessoas estão em abrigos desde...

Artículo exclusivo para abonados

Assine já por apenas 0.50€ e ajude-nos a contribuir para um jornalismo mais independente.

Por apenas 0.50€ poderá continuar a ler este artigo.