Erasmus+ Project Shadows – Videojogo Educativo

Secundária da Lagoa participou em reunião não presencial na Croácia  © D.R.

O Erasmus+ Key action 2 – Cooperation for innovation and Exchange of Good Practices, Project Shadows – School and Home use of Advanced Digital Online Worlds in a Serious Game , encontra-se em fase de protótipo. Nos dia 25 e 26 de outubro a equipa da Escola Secundária de Lagoa esteve presente numa reunião na Croácia, onde pela primeira vez, de forma presencial, se deu sequência ao desenvolvimento do projeto Erasmus de que participam a Escola Secundária de Lagoa, a escola croata de Trnsko, o liceu dinamarquês Grenaa Gynasium  e a empresa de desenvolvimento de videojogos alemã, Ingenious Knowledge. A reunião teve lugar em Zagreb, onde está situada a Escola de Trnsko.

O desenvolvimento de videojogos educativos é hoje uma prática cada vez mais frequente, mas que ainda se situa no campo experimental, pois debate-se com a dificuldade de encontrar o equilíbrio ideal entre os elementos de jogo e as componentes educativas. A criação de jogos para ensino tende a ser carente na vertente lúdica. No universo de desenvolvimento dos videojogos são muito raros os sucessos, pelo que a introdução de elementos educativos adiciona ainda mais complexidade. Todavia os jovens tendem a preferir um jogo à realização de um trabalho mais convencional, se bem que o sucesso a longo prazo irá depender muito da qualidade dos elementos de jogo. Tem-se publicado muitos estudos sobre o assunto, mas esta área está longe de estar sistematizada, pelos que os melhores jogos aproximam-se mais do trabalho de um artista do que de um engenheiro.

Videojogo funciona como agente motivador para que o aluno responda a questões de escolha múltipla © D.R.

Game Based Learning i.e aprendizagem baseada em videojogos tende a ser confundido com gamification, cuja tradução gamificação/ludificação, termo que vai além do mundo dos videojogos, diz respeito à utilização de elementos dos jogos aplicados a outro tipo de atividades. O Project Shadows incorpora um videojogo que funciona como agente motivador para que o aluno responda a questões de escolha múltipla. O combate por questões está mais próximo da gamificação, mas existe uma forte componente de elementos de jogo, nomeadamente, mapas, inimigos e atributos diversos constituintes do videojogo que envolve a componente educativa, ou seja, as questões. Quem vier do Kahoot irá sentir-se em casa, mas quem joga videojogos de multijogador de estratégia também encontrará muitos elementos familiares. 

Os testes com alunos que decorreram em Zagreb, recorrendo a um protótipo, confirmaram o poder da componente de videojogo que promove a gamificação das questões, que atuam como combate, de forma fluída. O jogo pode ser jogado em multijogador num servidor a que o professor tem acesso, podendo  este configurar as questões existentes e/ou introduzir outras novas. Aliás, é essa forte capacidade de adaptabilidade a qualquer disciplina que caracteriza este jogo, assim como, a possibilidade de partilha de questões. Pretende-se assim criar um facilitador de aprendizagem para os alunos, mas também uma ferramenta educativa para os docentes, cada vez mais ligados ao mundo virtual, no qual se esbatem as barreiras físicas das escolas.

João Freitas
Escola Secundária de Lagoa/ DL
Blog Instagram Twitter Linkedin  Facebook

Categorias: Educação

Deixe o seu comentário