Log in

PSD da Lagoa denuncia “preocupação” com “segurança” das obras públicas

© PSD LAGOA
pubpub

A comissão política concelhia do PSD da Lagoa manifestou “profunda preocupação com o estado a que chegou a autarquia lagoense no que diz respeito ao dever de cuidado com a qualidade e segurança das obras públicas executadas no concelho”, dado como exemplo a requalificação da rua da Fonte Velha, com inauguração agendada para este sábado, 21 de outubro.

“É um exemplo vivo de como uma autarquia não deve realizar uma obra pública desde o momento da elaboração do projeto até à execução da empreitada”, dizem os sociais-democratas da Lagoa que, vincaram, a Câmara da Lagoa já havia sido informada da “insatisfação dos moradores com o facto da modalidade de estacionamento escolhida (na horizontal) ser a que contemplava o mais reduzido número de lugares de estacionamento (em vez de em espinha), entre outros erros de conceção”.

O PSD da Lagoa “depois de se inteirar do sucedido e de visitar a obra, tomou as diligências necessárias ao nível da junta de freguesia e da câmara municipal para alertar que, para além do mau planeamento da obra, a sua execução era notoriamente deficiente, colocando em risco a segurança de pessoas e de bens, na medida em que nem pilares tinham sido construídos no muro, denotando-se uma clara fragilidade estrutural e concecional de todo o muro”.

Mais acrescenta a concelhia do PSD que “a Junta de Freguesia do Cabouco remeteu todas as responsabilidades para a Câmara da Lagoa”, sendo que esta, acrescenta o comunicado “respondeu tarde e a más horas às nossas solicitações, tendo o gabinete da senhora presidente afirmado que as preocupações manifestadas pelos residentes e apresentadas pelo PSD Lagoa eram infundadas e que a obra era dinâmica”.

No entanto, denuncia o PSD da Lagoa, “após as nossas diligências, e antes de afirmar que as sensações de insegurança eram infundadas, procedeu-se a uma intervenção na obra para reforço da estrutura com a criação dos pilares até à altura inexistentes, numa tentativa de fazer cumprir com o que havia sido projetado”.

A estrutura social-democrata lamentou ainda que “50 anos após o 25 de abril, em plena democracia, uma junta de freguesia não tenha ainda assumido as suas responsabilidades junto dos seus fregueses e atue como mera sucursal da câmara municipal, patrocinando, até, um churrasco no dia da inauguração da obra, como se isso a tornasse melhor concebida”.

O PSD da Lagoa “aguarda, até à data de hoje, que nos seja explicado, pela senhora presidente, o motivo pelo qual foi possível a obra ter sido executada de forma distinta do seu projeto aprovado, sem os respetivos pilares, e se depois de detetados os erros foram apuradas responsabilidades e porque decidiu acrescentar os pilares quando disse que não havia nenhum problema de segurança?”

Os leitores são a força do nosso jornal

Subscreva, participe e apoie o Diário da Lagoa. Ao valorizar o nosso trabalho está a ajudar-nos a marcar a diferença, através do jornalismo de proximidade. Assim levamos até si as notícias que contam.