Log in

Nova edição do Azores Fringe Festival com epicentro na Biblioteca Auditório da Madalena

© D.R.

O primeiro fim de semana da 12.º edição do Azores Fringe Festival acontece na Biblioteca Auditório da Madalena, de 17 a 19 de maio, e vai contar com dança, teatro, performance-arte, conferências, debates, apresentação de escritores e seus livros, exposição de desenho, pintura ao vivo e ainda uma feira dedicada às artes e costumes, segundo nota de imprensa da MiratecArts, entidade promotora.

De acordo com o promotor, “as nossas audiências do Pico já estavam habituadas ao epicentro do Fringe ser na propriedade MiratecArts Galeria Costa,” diz Terry Costa, o fundador do Azores Fringe. “Este ano, a nossa sede propriedade está a sofrer algumas mudanças e apostamos no maior espaço da ilha para congregar cerca de 20 eventos durante o festival, assim criando o seu epicentro na Biblioteca Auditório da Madalena, de 17 a 19 de maio, enquanto eventos satélite acontecem em 11 municípios dos Açores até ao final do mês de junho”.

A abertura, na sexta-feira 17 de maio, às 20h, inclui um tributo ao escritor açoriano que publica há 75 anos, Eduíno de Jesus. Uma dança para Dias de Melo, pela bailarina Maria João Albuquerque, arranca o programa do “Encontro Pedras Negras”, que tem como convidado especial Valter Hugo Mãe, e durante o fim de semana apresenta uma dúzia de novas obras de escritores açorianos, incluindo um destaque à coleção N9NA POESIA, liderada por Henrique Levy e Letras Lavadas, de acordo com o mesmo comunicado.

Workshops em escrita para teatro, por Peter Cann, e ainda partilha de saberes com a agente literária Marta Ferreira e a jornalista Maria João Moniz, vão complementar a programação dedicada aos interessados pela escrita e livros. Domingo à noite, no Lounge do Cella Bar, vários escritores vão apresentar as suas últimas obras, incluindo Pedro Almeida Maia. 

A novidade para esta edição é a “Feira Fringe” que acolhe vinte artistas de várias ilhas, desde o artesanato à pintura ao vivo. O evento acontece durante o dia de sábado, 18 de maio, na entrada da Biblioteca Auditório da Madalena, e ainda promete “Vésperas de Espírito Santo”.

Os leitores são a força do nosso jornal

Subscreva, participe e apoie o Diário da Lagoa. Ao valorizar o nosso trabalho está a ajudar-nos a marcar a diferença, através do jornalismo de proximidade. Assim levamos até si as notícias que contam.