“É o momento mais difícil da minha carreira”

© ACÁCIO MATEUS

Mário Silva sentou-se na cadeira da sala de imprensa do estádio de São Miguel preparado para a antevisão ao jogo com o Famalicão, mas o diálogo com os jornalistas incidiu mais sobre a reconstrução do plantel do Santa Clara, a contínua chegada de reforços e o impacto que isso poderá ter no desempenho do coletivo a curto/médio prazo.

O treinador não fugiu ao assunto do momento e com dezoito reforços no plantel e uma segunda pré-época em andamento em plena competição, fez questão de lembrar que é preciso tempo para colocar os mecanismos em funcionamento.

“Temos dezoito novos jogadores no plantel. Não é uma equipa, é um plantel novo! Temos quinze saídas de jogadores desde quando cá cheguei. Não serve de desculpa para nada, mas temos um longo caminho a percorrer”, desabafou.

Mário Silva espera a mesma paciência por parte da SAD em relação ao rendimento da equipa e à obtenção de resultados. “Sabemos que, enquanto treinadores, necessitamos de tempo, mas também de resultados. Temos ambição de vencer e com resultados positivos será mais fácil para todos, mas será uma tarefa que não se apresenta fácil”, avisou.

O treinador dos encarnados de Ponta Delgada vincou que “os jogadores precisam conhecer-se”, mas não especificou de quanto tempo será necessário para tal. “É difícil responder… O Santa Clara criou uma base que foi perdendo jogadores pelo caminho, mas não na quantidade deste ano”, lembrou.

E foi mais longe: “Tínhamos uma base, mas agora é uma base curta, mas estamos próximos de fechar o mercado e acredito que estamos próximos de estabilizar a equipa. Estamos a fazer agora o que deveríamos ter feito na pré-época, mas é nesta realidade que temos que trabalhar, ser fortes e estarmos juntos”, disse.

Consciente de que a corda costuma partir do lado do treinador aquando da ausência de resultados, Mário Silva acredita que essa premissa será tida em conta pela nova administração caso as coisas não endireitem no futuro imediato. “Acredito que sim… As pessoas da administração são experientes nestas andandas e têm-me transmitido confiança”, avançou, não deixando de confidenciar que “este é o momento mais difícil da minha carreira.”

Quanto ao jogo com o Famalicão, agendado para a tarde de domingo, deixou claro que “será um jogo difícil para ambas as equipas”, vincando que o Santa Clara apresentar-se-á no recinto do adversário com “vontade de disputar os três pontos.”

Categorias: Desporto

Deixe o seu comentário