Log in

Distinguidas 44 juntas de freguesia dos Açores Prémio de Excelência

© GOVERNO DOS AÇORES

Quarenta e quatro juntas de freguesia dos Açores que se destacaram pelo seu desempenho e dedicação à preservação do ambiente, foram distinguidas com o Prémio de Excelência, esta terça-feira, 14 de maio, numa cerimónia realizada, pela primeira vez, em Vila do Porto, na ilha de Santa Maria, de acordo com comunicado do Governo dos Açores.

Em 2023, foram distinguidas com o Prémio de Excelência 44 freguesias, mais seis que em 2022, designadamente: Fajã Grande e Lajedo, da Ilha das Flores; Praia do Norte, Ribeirinha, Capelo, Praia do Almoxarife, Salão, Pedro Miguel e Angústias, do Faial; Rosais, de São Jorge; Prainha, Piedade, Calheta de Nesquim e Candelária, da ilha do Pico; Santa Cruz da Graciosa e São Mateus, da ilha Graciosa; Raminho, Doze Ribeiras, Vila de São Sebastião, São Bartolomeu de Regatos, São Mateus da Calheta, Feteira, São Bento, Santa Bárbara, Ribeirinha, Vila do Porto Judeu, São Brás, Agualva, Fontinhas, Fonte do Bastardo, Vila das Lajes, Vila Nova e Porto Martins, da ilha Terceira; Relva, Conceição, Ribeirinha, Maia, Calhetas, Água de Pau, Ribeira Chã, Ribeira Seca, Santana e Achadinha, de São Miguel; e Santo Espírito, da ilha de Santa Maria.

O Secretário Regional do Ambiente e Ação Climática, Alongo Miguel, presidiu à entrega dos Prémios de Excelência, no âmbito do “ECO-Freguesia”, destacando que este programa “representa um instrumento fundamental de cooperação entre o Governo Regional e as juntas de freguesia, tendo como objetivo reconhecer e distinguir os esforços das freguesias e das suas populações na limpeza, remoção e encaminhamento para destino adequado dos resíduos abandonados nos seus territórios, incluindo as linhas de água e a orla costeira, assim como proporcionar a participação das populações em ações de sensibilização e educação ambiental”.

O Secretário Regional do Ambiente e Ação Climática anunciou também que, já em 2024, o valor adstrito ao programa “Eco-Freguesias” vai aumentar para um milhão de euros,” o que representa um acréscimo de cerca de 82% relativamente ao valor inscrito no ano transato”. A secretaria apresentou, ainda, o novo logótipo do programa “ECO-Freguesia”.

Alongo Miguel disse na ocasião que “as ações realizadas pelas 135 Freguesias inscritas no “«”ECO-Freguesia”»”, em 2023, permitiram a remoção de aproximadamente 867 toneladas de resíduos abandonados em espaços públicos, bem como assegurar a monitorização e limpeza de cerca de 241 quilómetros de linhas de água e de mais de 190 quilómetros de orla costeira, tendo também sido dinamizadas 535 ações de sensibilização e educação ambiental, o que representa um aumento de 32% face a 2022″.

Para o governante, que falava na cerimónia, as juntas de freguesia, “pela proximidade às populações locais e pelo conhecimento detalhado dos respetivos territórios, são parceiros estratégicos e desempenham um papel fulcral, muitas vezes com escassos recursos, para um desafio colossal que representa a preservação do Ambiente”.

“Os resultados obtidos “denotam efetivamente uma evolução muito positiva, ao nível da consciencialização ambiental das populações e da participação pública no domínio do ambiente, que são aspetos fundamentais para uma mudança de comportamentos e para um novo paradigma de desenvolvimento sustentável”, disse ainda.

Os leitores são a força do nosso jornal

Subscreva, participe e apoie o Diário da Lagoa. Ao valorizar o nosso trabalho está a ajudar-nos a marcar a diferença, através do jornalismo de proximidade. Assim levamos até si as notícias que contam.