Dia Mundial da Alimentação

Catarina Rola
Nutricionista
A Sua Saúde Sempre

Este mês, no dia 16 de Outubro, celebra-­se o Dia Mundial da Alimentação. Uma comemoração de especial destaque promovida pela Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) -­ uma das agências das Nações Unidas, a que lidera esforços para a erradicação da fome e combate à pobreza. O seu lema, fiat panis, traduz-­se do latim, e significa “haja pão”. Esta comemoração, que teve início em 1981, é atualmente celebrada em mais de 150 países como uma importante data para consciencializar a opinião pública sobre questões relativas à nutrição e à alimentação. Este ano, temos como temática “Crescer, Nutrir, Sustentar. Juntos. -­ As nossas ações são o nosso futuro.” Palavras preponderantes que reclamam novas condutas, baseadas em oito fatos chave, entre os quais:

Hora de ação. O aumento constante da fome desde 2014, juntamente com o aumento da obesidade, indica claramente a necessidade de acelerar e ampliar as ações para fortalecer os sistemas alimentares e proteger os meios de subsistência dos seres vivos.

Crescer, Alimentar, Sustentar. Hoje, apenas nove espécies de plantas respondem por 66% da produção total da colheita, apesar de haver pelo menos 30.000 plantas comestíveis. Torna-­se essencial cultivar uma variedade de alimentos para nutrir as pessoas e sustentar o planeta.

Os Sistemas De Alimentos De Amanhã. Os nossos futuros sistemas alimentares precisam fornecer dietas acessíveis e saudáveis para todos e meios de subsistência decentes para os trabalhadores do sistema alimentar, preservando os recursos naturais e a biodiversidade e enfrentando desafios como as mudanças climáticas.

O Planeta Com Fome. Mais de 2 bilhões de pessoas não têm acesso regular a alimentos seguros, nutritivos e suficientes. Prevê-­se que a população global atinja quase 10 bilhões em 2050.

Covid-­19. Quase 690 milhões de pessoas passam fome, mais 10 milhões desde 2019. A pandemia covid-­19 pode adicionar entre 83-­132 milhões de pessoas a este número, dependendo do cenário de crescimento económico.

O Custo Da Desnutrição. O impacto da desnutrição em todas as suas formas -­ desnutrição, deficiências de micronutrientes, bem como sobrepeso e obesidade -­ na economia global é estimado em 4 triliões de euros por ano.

Fortalecer Os Produtores Alimentares. Mais de 3 bilhões de pessoas no mundo não têm acesso à internet e a maioria delas vive em áreas rurais e remotas. Os pequenos agricultores precisam de maior acesso a financiamento, formação, inovação e tecnologia para melhorar os seus meios de subsistência.

Lacunas do Sistema Alimentar. Aproximadamente 14% dos alimentos produzidos para consumo humano são perdidos a cada ano entre as fases de cultivo ou criação até chegar ao mercado. Mais alimentos são desperdiçados no retalho alimentar e nas diferentes fases de consumo.

A alimentação segura é um direito básico do cidadão. O tema da campanha deste ano também demonstra o compromisso dos países com a agenda de desenvolvimento sustentável. Um dos objetivos é, até 2030, acabar com a fome, alcançar a segurança alimentar e promover a agricultura sustentável. Nesse contexto, ações combinadas entre o governo, iniciativas privadas e comunitárias são fundamentais para banir a insegurança alimentar do planeta, contribuindo para a melhoria do cenário instável apresentado nos últimos tempos e atuar na mobilização de todos os segmentos da sociedade na resolução da malnutrição presente.

(Artigo publicado na edição impressa de outubro de 2020)

Categorias: Opinião

Deixe o seu comentário