Dezenas de instituições distinguidas na sessão solene dos 500 anos da Lagoa

© CML

No decorrer da sessão solene de comemoração dos 500 anos de elevação de Lagoa a vila e a sede de concelho e dos 10 anos de cidade, que decorreu ontem, 11 de abril, no Parque de Ciência e de Tecnologia de São Miguel – Nonagon, marcaram presença diversas entidades, associações, instituições, autarcas, antigos autarcas e personalidades lagoenses.

Na ocasião, a presidente da Câmara Municipal de Lagoa, Cristina Calisto, enalteceu que “hoje é um dia maior para a Lagoa e para todos nós, que somos protagonistas deste momento solene que nos dá a honra e o privilégio de comemorar os 500 anos da elevação da Lagoa a Vila e sede de concelho e os 10 anos como cidade, nesta data que exalta a memória, a identidade, a tradição e o orgulho de ser lagoense!”, referiu, salientando que, as suas palavras se dirigiam a cada lagoense, com memória e afeto.   

O dia 11 de abril, assinala, igualmente, o feriado municipal de Lagoa, sendo esta celebração um ato de reconhecimento da história do concelho, dos feitos dos antepassados, que “alcançaram um manancial de êxitos individuais e coletivos, servindo de exemplo e inspiração para se fazer mais e melhor”. 

“Hoje é dia de fazer jus à memória de todos os que ajudaram a construir este concelho! Não só daqueles que estão retratados em bustos ou que deram nome a ruas do concelho, mas de todos aqueles que, sem nome, com o suor do seu trabalho lavraram, semearam, muraram e construíram com grande esforço esta Lagoa que hoje tem o mérito que todos reconhecemos – uma Lagoa com História, Identidade, Cultura e Património!”, proferiu a autarca lagoense.

Neste dia de festa e celebração, Cristina Calisto relembrou o papel de todas as instituições, escolas, coletividades e empresas lagoenses que “foram e são um verdadeiro baluarte e suporte pelo contributo que têm dado, através das suas atividades sociais, culturais, desportivas, recreativas e empresariais, bem como, pela sua cooperação com a Câmara Municipal, ao nível do desenvolvimento local”, reconhecendo, dessa feita, os bons serviços e dedicação das instituições e empresas.  

A autarca referiu que a Lagoa é referência em várias áreas e mais precisamente nas áreas da Ciência e Tecnologia, por deter equipamentos, empresas e serviços que são únicos na ilha de São Miguel e mesmo no contexto da região.    

A presidente aproveitou a ocasião para reforçar que o dia não deverá somente servir para enaltecer e festejar, mas também, para refletir sobre o futuro e sobre as circunstâncias que o determinam e condicionam.  

Nesse âmbito, recordou alguns compromissos, investimentos e ações determinantes e objetivos que a Lagoa pretende concretizar nos próximos 10 anos, nomeadamente na educação; no tecido empresarial; na área social; nos Transportes e Mobilidade; no âmbito das Novas Tecnologias; no Turismo e Lazer; no Desporto; na Cultura e ao nível da Juventude.  

Na sessão solene foram homenageadas, com a Medalha de Mérito Municipal, 41 instituições ligadas a diversas áreas, nomeadamente sociais, desportivas, culturais e empresariais. Com esta simbólica distinção, a autarquia dedicou o momento a todos os empresários lagoenses, mas igualmente, aos agentes da Cultura, do Serviço Social e do Desporto, às diferentes autoridades e forças de segurança, aos agentes da área da Saúde e da Educação; às entidades civis e religiosas; aos autarcas e ex-autarcas; aos colaboradores, ex-colaboradores, incluindo também os que colaboram em vínculo precário. Referindo, assim, que “estes trabalhadores são o rosto do município e em cada um reconheço o labor e empenho no bom nome e construção do concelho, tendo-lhes por isso atribuído um voto de Louvor, aprovado por unanimidade na reunião de Câmara realizada no passado dia 31 de março”.  

Dirigiu-se também a todos os lagoenses, agradecendo a tolerância, colaboração, sugestões e críticas sempre construtivas e atentas.

Finalmente, congratulou as entidades envolvidas diretamente na organização desta sessão, mais precisamente, as bandas filarmónicas, o professor João Paulo Oliveira e Costa, o escultor João Duarte e os protagonistas do concerto de harpa e flauta através do Instituto padre João José Tavares, na pessoa da professora Palmira Bettencourt.   

“Eu acredito no futuro, no progresso, na inovação, no desenvolvimento sustentado, na liberdade, na solidariedade e nas pessoas. Eu acredito que juntos faremos uma história diferente e um futuro melhor! A Lagoa foi grande no passado e tenho a certeza que será grande no seu futuro”, concluiu Cristina Calisto.  

DL

Categorias: Local

Deixe o seu comentário