Cristina Calisto apela para que unidade de saúde da Lagoa passe a centro de saúde

© CM LAGOA

A presidente da câmara municipal da Lagoa, Cristina Calisto, defende que “é urgente a adaptação da orgânica e o quadro de pessoal da unidade de saúde da ilha de São Miguel para que a unidade de saúde da Lagoa possa ser assumida formalmente como centro de saúde.”

Este foi o repto lançado por Cristina Calisto na sessão de abertura do I Congresso de Enfermagem dos Açores, que teve lugar no auditório do edifício do Nonagon, durante o qual acrescentou que a autarquia a que preside “está disponível para elaborar um projeto de adaptação do atual edifício da unidade de saúde da Lagoa.”

A presidente lembrou que existe no concelho uma lacuna em termos de cuidados de saúde e defendeu a criação de um centro de saúde com horário alargado, encontrando-se o município disponível para ajudar na requalificação da estrutura existente.

“É importante assegurar os cuidados primários de saúde e uma melhor qualidade de vida dos nossos munícipes. Torna-se necessário criar um serviço de atendimento para situações em que não existe acesso a médico de família, a funcionar de segunda a sábado, das 8h30 às 20h00, de modo a salvaguardar os cuidados de saúde de proximidade”, defendeu a autarca.

Além disso, Cristina Calisto referiu, ainda, a necessidade de reforço de recursos, nomeadamente no que diz respeito à falta de consultas permanentes de nutrição, psicologia, medicina dentária e apoio ao domicílio.

Lembrou ainda que “os municípios não são agentes com competência direta na saúde, mas nem por isso descuramos o assunto ou deixamos de trabalhar para o bem da nossa população.”

Categorias: Local

Deixe o seu comentário