Cristina Calisto alerta para nova realidade das instalações agrícolas

© CM LAGOA

A presidente da câmara municipal da Lagoa, Cristina Calisto, marcou presença na sessão de abertura das X Jornadas Florestais da Macaronésia, que se realizam entre 15 e 17 de novembro, no edifício do Nonagon – Parque de Ciência e Tecnologia de São Miguel, e alertou para a nova realidade das instalações agrícolas na ilha.

Cristina Calisto aproveitou a presença do secretário regional da Agricultura e do Desenvolvimento Rural, António Ventura, e do presidente da Federação Agrícola de São Miguel, Jorge Rita, para alertar que estando a maioria dos municípios a proceder à revisão do Plano Diretor Municipal (PDM) que se “definissem regras uniformes quanto à localização e definição das áreas de implantação para a construção de estábulos, uma vez que começam a surgir pedidos para os quais não temos instrumentos para autorizá-los e, mesmo que venham a existir no futuro, pode-se incorrer em decisões díspares entre municípios.”

“As novas dinâmicas no setor agrícola começam a originar pedidos de licenciamento para os quais seria muito importante consensualizar regras”, disse a autarca.

De referir que estas Jornadas Florestais da Macaronésia, que reúnem entidades dos Açores, Madeira, Cabo Verde e Canárias pretende debater o tema das alterações climáticas e os seus efeitos na floresta, que se poderão fazer sentir ao nível da redução da função protetora do solo, da falta de água para recarga dos aquíferos entre outros assuntos.

Este ano, o tema das Jornadas Florestais da Macaronésia é “Serviços Ecossistémicos da Floresta da Macaronésia”, reunindo profissionais públicos e privados da área, com objetivo de debater assuntos ligados à floresta da Macaronésia, nomeadamente planeamento, gestão e proteção das florestas.

Categorias: Local

Deixe o seu comentário