Criar realidade: uma volta ao mundo com Joana Amen na EBI de Água de Pau

Joana Amen deu, em 2016, a volta ao mundo de barco com a família para trazer aos filhos novas experiências e formas de aprendizagem e concretizar algo com impacto social e ambiental, percebendo os lugares, deixando marcas, trocando aprendizagens.

Foi no âmbito do projeto “Ler+Mar” promovido, este ano letivo, pela Biblioteca Escolar em articulação com a Eco-escolas, que lhe foi feito o convite para falar aos alunos do 3.º ciclo desta sua aventura pelos mares do mundo e das vivências a ela associadas. Perceber o mar e a sua riqueza, as suas especificidades, mas também os riscos que corre é um dos principais objetivos desta iniciativa da BE que, aliada ao prazer de ler e às histórias sobre este maravilhoso recurso, pretende alterar hábitos da comunidade escolar com novas leituras e práticas sustentáveis de preservação da biodiversidade e dos ecossistemas marinhos.

Apesar de em muitos aspetos se assemelhar a célebres aventuras literárias, a experiência de circum-navegação da família açoriana da convidada não se fez em oitenta dias, antes em dois anos, ou, se atendermos às suas palavras iniciais, em muito mais tempo, visto tratar-se de uma viagem “que nunca acaba”, que ressoa ainda nas suas vidas e nas daqueles que conhecem a sua história.

Preparar uma volta ao mundo deu mais trabalho do que alguma vez imaginou, contou Joana Amen nos primeiros minutos do seu relato, nesta sessão na EBI de Água de Pau no dia 17 de janeiro. Tudo partiu de um sonho ao que se seguiu muita preparação. Escolher o barco certo, definir uma rota, tratar da documentação e definir um plano de vida para tanto tempo pelo mundo fora foi apenas uma parte do imensurável trabalho de planificação desta família. Mas tudo valeu a pena tempo depois, já no mar, rumo à descoberta.

Atravessar o Atlântico em dezasseis dias, sempre rodeados de água por todos os lados, não foi de todo monótono, afirmou a convidada, recordando a fauna e a flora diversificadas que todos os dias presenteavam a família. A psicóloga e mãe de 35 anos explicou ainda à plateia entusiasmada o mapa-mundo e apontou a linha do Equador, o trajeto marítimo, os destaques em terra. Relatou histórias, umas surpreendentes de ilhas em que os locais nunca tinham visto homens brancos, outras cheias de emoção como a de Eritreia, um país marcado pela guerra, pela fome e pela falta de recursos, em que os Direitos Humanos são diariamente violados sem o conhecimento ou o interesse da comunidade internacional.

Deslumbrados com a audácia dos quatro viajantes e com as fotografias exóticas e de extraordinária beleza apresentadas, os alunos conheceram o percurso, os locais e as pessoas, os sítios mais fascinantes como a Polinésia abundante em frutos com formas e nomes inesperados, mas também os mais devastados como a “selva de lixo” na Indonésia causada por décadas de turismo descontrolado. De resto, este foi o tema a que Joana mais deu destaque na sua apresentação, o da poluição e desrespeito pelo ambiente, por considerar que esta é a missão que resulta da sua viagem: partilhar o que viu e viveu e mostrar os riscos de um mundo irremediavelmente danificado pela ação irresponsável do homem, educar para a valorização da natureza com uma atitude proativa e desafiante, combatendo o plástico no quotidiano responsável pela destruição dos mares. A pretexto desta preocupação e da importância da resiliência nas diferentes circunstâncias da vida, Joana Amen concluiu o roteiro da sessão com uma citação de Jules, um septuagenário que conheceu no Sudão: “You have not come into this world to face reality, you have come to create reality!“.

Criar realidade com aprendizagem em moldes fora do convencional, com a preocupação com a sustentabilidade do planeta, a luta pelos sonhos, a união familiar, o valor da experiência e do contacto com a diversidade cultural humana. Criar realidade aproveitando o tempo de forma diferente, nas bibliotecas, esses lugares mágicos que a família primeiramente procurava e frequentava em todas as paragens. Esses lugares, como a BE da escola de Água de Pau, em que podemos revisitar esta viagem açoriana única, lendo o blogue de Joana Amen e o seu Diário de Bordo de expressão tão genuína e cativante que nos faz acreditar que “podemos fazer acontecer tudo o que quisermos”.

A equipa da Biblioteca Escolar
(Textos publicados na edição impressa de março de 2019)

Categorias: Educação

Deixe o seu comentário