Creches, centros de dia e lares reabrem a 1 de junho em S. Miguel

Foto: DR

O anúncio foi feito na manhã desta sexta-feira, 15 de maio, pela Secretária Regional da Solidariedade Social, em Angra do Heroísmo.  Na conferência de imprensa, Andreia Cardoso anunciou mais detalhes do calendário de reabertura das respostas sociais na Região Autónoma dos Açores, encerradas no âmbito da pandemia de COVID-19, com diferentes datas nas várias ilhas: 

– Retomar, a partir de 18 maio, nas ilhas de Santa Maria, Flores e Corvo, as visitas condicionadas nas Estruturas Residenciais para Idosos;

– Reabrir, a 25 maio, as valências de creche, serviço de amas, jardins de infância, centros de atividades ocupacionais, centros de dia e centros de noite nas ilhas Pico, Faial, Terceira e São Jorge;

– Retomar, a 25 de maio, as visitas condicionadas nas Estruturas Residenciais para idosos nas ilhas do Pico, Faial, Terceira e São Jorge;

– Reabrir, a 1 de junho, as creches, serviço de amas, jardins de infância, centros de atividades ocupacionais, centros de dia e centros de noite nas ilhas São Miguel e Graciosa;

– Retomar, também a 1 de junho, as visitas nas Estruturas Residenciais par Idosos nas ilhas São Miguel e Graciosa;

– Reabrir, nas ilhas do Pico, Faial, Terceira, São Jorge, São Miguel e Graciosa, os centros de atividades de tempos livres a tempo inteiro no final do ano letivo para crianças com idades compreendidas entre os 6 e os 12 anos ou, independentemente da idade, desde que sejam portadoras de deficiência.

 

Lares:

Relativamente às visitas a Estruturas Residenciais para idosos, as condições gerais, sem prejuízo das orientações detalhadas da Autoridade de Saúde Regional, implicam que as instituições devem ajustar os seus Planos de Contingência, assegurando:

–  A definição de um plano para operacionalização das visitas e a identificação de um profissional responsável pelo processo;

– A comunicação aos familiares e outros visitantes as condições nas quais as visitas decorrem;

– O agendamento prévio das visitas, de forma a garantir a utilização adequada do espaço que lhe está alocado, a respetiva higienização entre visitas e a manutenção do distanciamento físico apropriado e a utilização de máscara;

– Organizar um registo de visitantes, por data, hora, nome, contacto e residente visitado.

 

Creches:

Relativamente à abertura de creches, jardins de infância, centros de atividades de tempos livres, centros de atividades ocupacionais, centros de Noite e centros de dia, é recomendado o seguinte:

– É obrigatório o uso de máscara pelos funcionários;

– Devem ser divulgadas, ensinadas e treinadas, as medidas de higiene das mãos e etiqueta respiratória por todos os funcionários e utentes;

– Devem ser instalados dispositivos de desinfeção das mãos em locais estratégicos e onde não seja possível lavar as mãos (exemplo: à entrada, nos corredores, entre outros);

– Devem ser instituídos procedimentos que evitem o aglomerado de pessoas (por exemplo, horários desfasados para entrada e saída dos utentes; diferentes horários para utilização do refeitório), bem como procedimentos que permitam a limpeza e desinfeção regulares dos espaços e materiais/brinquedos de utilização comum;

– Todos os funcionários devem observar medidas estritas de higiene das mãos e etiqueta respiratória;

– Privilegiar a via digital para todos os procedimentos administrativos.

De acordo com a Secretária da Solidariedade Social, a reabertura destas respostas sociais será precedida da realização de testes de despiste à COVID-19 a todos os trabalhadores destas valências.

DL

Categorias: Regional

Deixe o seu comentário