Canta Comigo, Leio Contigo – Histórias de Cantar e Encantar

Alda Fernandes e Anabela Cura são, seguramente, docentes conhecidas de todos os alunos da EBI de Lagoa. Ao longo dos anos, habituamo-nos a vê-las entrar na sala de aula para cantar e encantar. Ao entrevistá-las, pretendemos conhecer um pouco mais do projeto Canta Comigo, Leio Contigo (CCLC) e de quem está por trás dele.

Docentes Alda Fernandes e Anabela Cura são as dinamizadoras do projeto “Canta Comigo, Leio Contigo.” © D.R.

Laura e Rita (L/R): De onde veio esta ideia de ler livros e tocar músicas para o entretenimento dos mais novos?
CCLC: Antes de respondermos à vossa questão, gostaríamos de esclarecer dois aspetos primordiais para nós. Primeiro — gostamos de afirmar que não “lemos livros”: nós contamos histórias, tendo sempre o livro por suporte. Podê-lo-íamos fazer sem a presença do livro, porém, para nós, o livro é um objeto artístico e acreditamos que não teria o mesmo impacto, uma vez que as ilustrações e o design também são linguagens fundamentais para a compreensão global. Segundo — não o fazemos para “entretenimento dos mais novos”, mas para incutir o gosto e a fruição pela literatura, desenvolvendo o pensamento crítico e criativo, a curiosidade e a capacidade de decisão.
A ideia de contar e cantar histórias, embora tenha nascido no Departamento da Educação Pré-escolar, a sua génese é-nos intrínseca, visto que os livros, as histórias e a música estão-nos entranhados no coração.

L/R: Quando e onde foi a vossa primeira sessão?
CCLC: No início do projeto, em setembro de 2015, trabalhávamos de forma um pouco diferente. Começámos com sessões na educação pré-escolar, realizadas apenas pela Alda, e sessões esporádicas no 2.º ciclo, realizadas pela Anabela. A partir do mês de janeiro, passámos a fazer também sessões no 1.º ciclo. Não conseguimos precisar quando ocorreu a nossa primeira sessão, mas presumimos ter sido no mês de setembro.

L/R: Qual foi o primeiro livro que apresentaram?
Alda: Lembro-me bem que comecei com a história Desculpa, de Norbert Landa. Nessa altura, estava a frequentar uma formação sobre literacia, que durou todo o ano letivo. Na referida formação, começámos com essa história e trabalhámo-la durante muito tempo, por isso nunca esqueci. A canção, de minha autoria, intitulava-se Boa Educação.
Anabela: Como contava histórias às minhas turmas, quase diariamente, nas aulas de Português, não posso afirmar convictamente qual terá sido a primeira que contei nas sessões do CCLC. Talvez O Peixinho que Descobriu o Mar, um pequeno conto de José Eduardo Agualusa.

L/R: E qual foi o mais recente?
CCLC: Recentemente, estamos a homenagear todos os pais com A Tarte de Fadas, de Michaël Escoffier e Um Papá à Medida, de Davide Cali. Em relação à canção, nestas sessões, cantamos ora Eu Gosto é do Papá, ora O Meu Pai é Grande, da autoria da Alda.

L/R: Sempre tiveram esse interesse de ler livros e de cantar?
CCLC: O ato de cantar e contar histórias já existia em nós muito antes de iniciarmos o CCLC, embora fosse feito noutros moldes e noutros contextos. Como já referimos, faz parte da nossa essência como seres humanos.

L/R: O que recomendam para os mais novos?
CCLC: Ambas desejamos passar este enorme amor a outros, sejam eles crianças ou adultos. Acreditamos que a nossa missão é abrir as portas para outras formas de ler, para outros livros que não os recomendados, deixando assim ao arbítrio de cada um a escolha dos livros que passem a “morar em nós”.

L/R: A que sítio gostariam de ir fazer uma apresentação do vosso trabalho?
CCLC: Gostamos de ir a todos os sítios onde nos sintamos acolhidas e onde gostem do nosso trabalho.

L/R: Qual a editora/autor(a) que mais gostam ou falam?
CCLC: Os nossos gostos são demasiado diversos para escolhermos, apenas, esta ou aquela editora/autor(a).

L/R: Obrigada! Esperamos que continuem com o projeto e a encantar-nos com as vossas histórias.

Laura Carlos e Rita Rodrigues,
EBI de Lagoa/ DL

Artigo publicado na edição impressa de abril de 2022

Categorias: Educação

Deixe o seu comentário