BE/Açores propõe a criação de um plano de retoma para a saúde

© BE/A

O BE/Açores apresentou esta sexta-feira, 19 de março, uma iniciativa legislativa que propõe a criação de um plano de retoma da atividade assistencial na saúde, que contenha a calendarização e a definição de metas concretas.

Em conferência de imprensa, na delegação de Ponta Delgada da Assembleia Legislativa Regional, o coordenador do Bloco de Esquerda dos Açores, António Lima, afirmou que “a falta de transparência sobre o que se passa no Serviço Regional de Saúde é gritante”.

Por isso, o partido irá levar ao parlamento açoriano, na próxima sessão plenária, um projeto de resolução, com pedido de urgência, que recomenda “a promoção do levantamento e elaboração de um relatório de toda a atividade assistencial em saúde, nomeadamente, cirurgias, consultas e exames complementares de diagnóstico e terapêutica, que foi adiada devido à covid-19 nos hospitais e nas Unidades de Saúde de Ilha, recomendando ainda que esse levantamento seja remetido à Assembleia Legislativa”.

É proposta, também, “a apresentação, no prazo de dois meses, de um plano de recuperação da atividade assistencial na área da saúde”, que deve incluir a “calendarização da recuperação da atividade assistencial” e a “definição das metas de recuperação da atividade”.

O Bloco de Esquerda quer conhecer a “descrição das medidas a implementar no âmbito do desenvolvimento do plano, tais como o recurso à produção acrescida e a atividade convencionada”.

Este plano deve ser acompanhado de “medidas de monitorização da execução do plano, que devem incluir a publicação de um relatório mensal de execução”.

O coordenador da estrutura regional bloquista considera que “é essencial, para além do reforço de meios e recursos humanos no Serviço Regional de Saúde, conhecer o real impacto da covid-19 na atividade assistencial para planear e recuperar o que foi adiado”.

Para o líder parlamentar do partido, “sem esse conhecimento, não é possível desenvolver políticas, desenvolver orçamentos”.

António Lima lamenta que “nem a aprovação por unanimidade” de uma proposta do PSD “para que fosse feito um levantamento da atividade adiada com conhecimento da Assembleia fez com que o Governo Regional de então tivesse fornecido qualquer informação sobre este assunto”.

“O mesmo se pode dizer do atual Governo Regional, com a agravante de que este é liderado pelo partido que, em maio, fez a proposta”, prossegue.

Além de não haver dados sobre a atividade assistencial que teve de ser adiada devido à pandemia de covid-19, o BE refere que, “em 2021, ainda não foi publicado um único relatório mensal do Sistema Integrado de Gestão de Lista de Espera Cirúrgicas” e lembra que “foram muitas as vezes que o PSD exigiu – e bem – ao governo do PS a divulgação desses relatórios”, e agora faz “exatamente o mesmo do que se queixava do anterior Governo”.

Lusa/ DL

Categorias: Regional

Deixe o seu comentário